O problema foi detetado por uma empresa de segurança holandesa, que garante ter identificado os primeiros indícios do ataque no passado dia 30 de dezembro.



Este ataque ao servidor do Yahoo, responsável pela distribuição da publicidade que o utilizador recebe quando acede à rede de sites da companhia norte-americana, tem permitido que alguns dos anúncios mostrados contenham e distribuam malware.



O malware em questão explora vulnerabilidade no Java e instala código malicioso nos computadores onde encontrar a possibilidade de o fazer. Em computadores ligados a uma rede as consequências do ataque podem ser mais severas, já que os atacantes ganham acesso a outros sistemas e servidores.



A Fox-IT garante que têm sido afetados utilizadores em vários países, identificando a Roménia, França e o Reino Unido como os países onde o número de ataques registados será maior, algo que, por agora, a empresa de segurança não sabe explicar, mas admite que tenha a ver com a configuração da publicidade maliciosa.



A empresa estima que tenham já sido afetados pelo problema dezenas de milhar de utilizadores da plataforma de correio eletrónico gratuito. Nos seus cálculos a Fox-It toma como referência uma taxa média de infeção na ordem dos 9%, o que representará qualquer coisa como 27 mil novas infeções por hora.



A Yahoo já comentou a notícia, garantindo que está a par do ataque e que já tomou as medidas necessárias para conter a ameaça, bloqueando os anúncios identificados como portadores e distribuidores de malware.



No nota divulgada ontem à noite, a empresa de Internet, que tem no serviço de correio eletrónico gratuito um dos seus principais produtos online, restringe o problema à rede europeia de sites. Também garante que os utilizadores Mac, ou que acedem através de dispositivos móveis, não são afetados pelo problema.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.