16 empresas portuguesas na lista das 500 tecnológicas que mais crescem na Europa, Médio Oriente e África (EMEA), segundo uma análise da Deloitte. As 16 tecnológicas de origem portuguesa distinguidas no ranking Fast 500 EMEA registaram um crescimento médio de 810% em três anos. No mesmo período (2019-2022) passaram de um volume médio de 229 colaboradores para 830, num crescimento de 262%.

A melhor classificação nacional no ranking cabe à Sword Health, que ocupa a 34ª posição. Em 2019, a empresa já integrava este ranking da Deloitte, mas estava na 322ª posição da tabela. O unicórnio fundado por Virgílio Bento tem uma plataforma pioneira em todo o mundo na prevenção e tratamento de patologias músculo-esqueléticas.

Ranking Fast 500 EMEA - Empresas Portuguesas
créditos: Deloitte

A segunda melhor classificada de origem portuguesa é a Addvolt, que desenvolveu uma solução para recuperar, produzir e armazenar energia elétrica a bordo de camiões de transporte sob temperatura controlada. Ocupa a 97ª posição no ranking Fast 500 EMEA. O top três nacional fecha com a Knok, que trabalha na área das soluções de telemedicina apoiadas em inteligência artificial. A Knok surge na 146ª posição.

Recentemente, a Deloitte apresentou os resultados da primeira edição do Fast 50 Portugal. A presença portuguesa neste novo ranking da EMEA repete 32% das escolhidas para o Fast 50 Portugal.

Deloitte - Fast 500 EMEA
créditos: Deloitte

“É encorajador ver empresas portuguesas a alcançar estes resultados no Deloitte Technology Fast 500 EMEA 2023”, sublinha Pedro Brás da Silva, Associate Partner da Deloitte. “

O crescimento médio de 810% destas empresas é um testemunho dos resultados que se podem alcançar com inovação, modelos de negócio escaláveis e capacidade empreendedora.”

Recorde-se que a Sword Health já tinha sido a grande vencedora dos prémios “Deloitte Technology Fast 50 Portugal”. A Addvolt e a Knok também tinham sido a 2ª e 3ª distinguidas nesse ranking.

Os Fast 50, edição Portugal, reconhecem e traçam o perfil das empresas de tecnologia, com presença em Portugal, que mais fizeram crescer as suas receitas em quatro anos (2019-2022).

As empresas que os integraram somaram um volume de negócios agregado de mais de 550 milhões de euros, num crescimento de 265%. Foram responsáveis por exportações de 250 milhões de euros, também a crescer face a 2019, neste caso 179%. Aumentaram o volume médio de colaboradores em 400% nos quatro anos da análise.

Já no top 500 da EMEA, a Deloitte apurou um crescimento de médio de mais de 1900% para as empresas listadas, com 175 companhias a registarem crescimentos superiores a 1000% no período analisado. Por sectores, a área do software é a que mais se destaca.