A Apple fez um investimento massivo e desta vez não foi na compra de nenhuma empresa na área das tecnologias. A gigante de Cupertino investiu numa central fotovoltaica e os gastos vão rondar os 848 milhões de dólares. No entanto a marca da maçã espera um retorno a longo prazo já que parte da energia gerada servirá sobretudo para alimentar a nova sede que a empresa está a construir.

De acordo com a First Solar, empresa responsável pela mega-instalação de painéis solares, este é o maior acordo alguma vez feito ao nível da contratação de energias verdes. O acordo entre as duas empresas é válido por 25 anos e a Apple vai receber 130 megawatts de energia.

A construção do empreendimento vai começar ainda este ano e deverá estar terminada antes do final de 2016. Serão gerados outros 150 megawatts de energia a partir da central, mas essa servirá para alimentar as necessidades de outra empresa, a Pacific Gas & Electric, que em conjunto com a Apple vai suportar todo o financiamento.

A energia da Apple servirá para "iluminar" a nova sede que a empresa está a construir, um projeto que já está a ganhar forma e que quer ser um dos edifícios mais sustentáveis do mundo, isto é, quer funcionar apenas com recurso a energias verdes.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.