A Apple está a pedir ao tribunal norte-americano que proíba as vendas no país do novo "telefone da Google", o Galaxy Nexus, fabricado pela Samsung, relata a imprensa internacional, citando documentos oficiais publicados online.

A fabricante do iPhone alega que a mais recente versão do operativo Android, conhecida como 4.0 ou Ice Cream Sandwich e que se estreou no mercado juntamente com o Galaxy Nexus, viola quatro patentes do iOS, pelo que a marca exige que o telefone seja retirado do mercado.

O pedido de suspensão da comercialização é feito na Califórnia, a título de providência cautelar, e acompanha a entrada no tribunal de um processo pedindo às autoridades que averiguem a questão.

Uma das patentes está relacionada com a inserção de dados nos equipamentos, dizendo respeito a um processo que permite que os utilizadores, ao clicarem em números de telefone ou outro tipo de dados de contacto em documentos como emails, possam iniciar uma chamada ou obter mais informações.

Recorde-se que esta já tinha sido invocada pela Apple numa ação contra a HTC, em finais de 2011, junto da International Trade Commission, que deu razão à empresa de Steve Jobs. Uma questão que foi, entretanto, "contornada" pela HTC.

Ainda no que respeita à inserção de dados, é invocada a violação de uma patente para conclusão automática das palavras escritas por um utilizador durante o uso de ecrãs táteis, que também se encontra em discussão num processo que decorre em tribunais alemães, para o qual é esperada uma decisão em março, escreve a CNet.

As outras duas patentes dizem respeito ao Siri e à pesquisa "unificada" (e com a forma como o assistente pesquisa online a informação solicitada pelo utilizador) e a um novo método para desbloquear o telemóvel deslizando o dedo no ecrã.

Na China, porém, é a Apple quem vê a comercialização dos seus produtos ameaçada, com as autoridades locais a darem razão à uma empresa nacional Proview Technology, que alega ser titular dos direitos sobre o nome do tablet da marca norte-americana.

As vendas do iPad foram, por isso, proibidas no distrito de Xinhua, norte da China, com todos os equipamentos à venda a serem retirados das lojas, numa altura em que decorrem processos com o mesmo objeto em mais 20 cidades do país, avança hoje a Associated Press.

O caso, já em dezembro, tinha sido notícia, quando a Apple viu recusada uma queixa contra a empresa pela utilização indevida do nome iPad. Entretanto a Proview Technology resolveu tomar também algumas medidas legais, que começam a produzir efeitos.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Joana M. Fernandes

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.