Em 2024, as empresas com mais hipótese de se destacarem serão aquelas que demonstrarem capacidade de inovar através da tecnologia para superar os mais diversos obstáculos, segundo aponta a International Data Corporation (IDC), no estudo "FutureScape: Worldwide Future of Digital Innovation 2023 Top 10 Predictions".

A consultora sublinha que as crises globais, incluindo a inflação, a ameaça de recessão, os constrangimentos da cadeia de abastecimento, o aumento dos custos dos combustíveis e a guerra, estão a levar muitas empresas a jogar pelo seguro, nomeadamente a cortar os custos tanto quanto possível e a investir apenas em empresas ou negócios com baixo risco. No entanto, dependendo do setor e da crise que afeta, “jogar pelo seguro pode ser mais arriscado do que investir em algo novo”, analisa a IDC.

As empresas estão a passar de uma estratégia de investimento em tecnologia centrada na transformação digital para uma estratégia focada na gestão do negócio digital, logo, um fator importante do negócio digital será a capacidade de inovar através do desenvolvimento de tecnologia diferenciadora e disruptiva, escreve a consultora em comunicado.

As organizações de TI estão mais pressionadas do que nunca para aumentar a eficiência, a fim de dedicar o máximo de tempo e recursos à inovação. “Obter o maior valor comercial da inovação digital requer normalmente mudanças significativas nos modelos de negócio. Os líderes de TI terão, cada vez mais, de compreender o negócio – incluindo o impacto de qualquer uma das crises globais – e fornecer ao negócio soluções inovadoras que produzam resultados estratégicos”, refere o estudo.

Gabriel Coimbra, Group Vice President e Country Manager da IDC Portugal, citado no comunicado, relembra empresas como a Uber, a Airbnb e a Groupon que surgiram na altura da recessão de 2008, utilizando tecnologias digitais inovadoras para agitar os mercados. “As empresas devem planear a utilização de tecnologias digitais para responder às necessidades dos clientes, que estão a mudar devido às crises mundiais”, aconselha. “Sabemos que a inflação e as restrições da cadeia de abastecimento, por exemplo, afetam o status quo, o que significa que as organizações têm de mudar ou correm o risco de declínio”.

A pandemia da COVID-19 demonstrou o quão poderosa pode ser a tecnologia digital e a inovação para proporcionar resiliência, receitas e oportunidades para uma empresa face a uma crise. O resultado é o surgimento de uma divisão entre as organizações que são capazes de escalar o desenvolvimento e a entrega de inovação digital e as que não conseguem, considera a IDC

As previsões da IDC para o futuro da inovação digital refletem esta divisão, com as empresas que fornecem inovação digital a emergir como líderes nos seus sectores de mercado. Conheça ou recorde as 10 previsões mais recentes da consultora:

  • Previsão 1: Em 2024, as 5 maiores empresas de cada sector serão aquelas que utilizaram a tecnologia para inovar e sair de uma crise global, como uma recessão ou uma rutura na cadeia de abastecimento.
  • Previsão 2: Até 2026, 10% das empresas vão incentivar os consumidores a partilhar dados confidenciais para conceber ofertas não tradicionais, melhorar a experiência do cliente e aumentar a quota de mercado.
  • Previsão 3: Até 2024, 35% das empresas que criam algoritmos inovadores para recolher informações de dados únicos, vão apresentar novas ofertas de produtos, modelos de preços bem-sucedidos e explorar novos segmentos de clientes.
  • Previsão 4: Até 2028, novas eficiências vão permitir aos programadores aumentar a percentagem de tempo que dedicam à inovação, passando de 25% do seu trabalho relacionado com o desenvolvimento para 75%.
  • Previsão 5: Até 2028, as receitas recorrentes de produtos inteligentes vão representar 65% das receitas das 2.000 maiores empresas.
  • Previsão 6: Até 2026, 75% dos líderes de mercado vão ter programas e investimentos em inovação digital sistémica, que apoiam a inovação iterativa contínua, permitindo o crescimento, a escala, agilidade e resiliência.
  • Previsão 7: Até 2026, as empresas que partilham dados com parceiros comerciais para tirar partido dos seus conjuntos de dados coletivos vão aumentar as receitas 10% mais rapidamente do que aquelas que não o fazem.
  • Previsão 8: Até 2025, 85% dos CEOs do G2000 vão exigir que os líderes seniores forneçam informações baseadas em dados sobre a atividade de inovação, incluindo a eficiência dos programadores e os resultados comerciais.
  • Previsão 9: Em 2027, a percentagem de pessoas não ligadas à tecnologia nas empresas que passam 10 horas ou mais por semana a contribuir para a inovação digital, aumentará dos atuais 5% para 45%.
  • Previsão 10: Em 2028, 15 das grandes empresas serão notícia por utilizarem tecnologias digitais para manipular as experiências dos clientes para estimular atualizações e substituições.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.