A gigante da Internet pode desta forma ter em mãos uma nova quezília com Bruxelas, quando ainda há uma semana escapava a uma multa milionária.

Embora não haja confirmação oficial, a Comissão Europeia estará a investigar as condições que podem estar a ser impostas às fabricantes que pretendem usar a plataforma móvel da gigante da Internet nos seus dispositivos, com o objetivo de apurar se tais exigências violam as leis antimonopólio na Europa.

Segundo o Wall Street Journal, que avança a notícia, os documentos em causa mostram que a empresa norte-americana pede às fabricantes que definam o seu motor de busca por defeito e que incluam todas as suas aplicações oficiais.

O acordo estabelecido pode ir ao pormenor de determinar a localização dessas aplicações nos ecrãs de ambiente de trabalho do dispositivo - o ícone da Play Store, por exemplo, deve surgir no primeiro ecrã.

Os documentos terão começado a ser analisados pela Comissão Europa em abril do ano passado, mas só agora, depois de resolvida a questão relativa ao monopólio da área da pesquisa e publicidade online é que a investigação deverá ser oficializada.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.