Para que o negócio se concretize fica apenas a faltar o sim do organismo europeu da concorrência. Sem surpresas, o processo de análise no velho continente está a ser mais demorado que nos Estados Unidos, uma situação comum nos casos em que ambos os reguladores têm de manifestar-se.



A compra da unidade de telemóveis pela Microsoft, que adquire também a marca finlandesa, foi anunciada em setembro. É uma operação que levará a Microsoft a desembolsar 7,2 mil milhões de dólares e a reorientar definitivamente o seu posicionamento no mercado, deixando de ser uma empresa quase exclusivamente concentrada no software, para abraçar em definitivo o mercado do hardware.



A FCT não viu obstáculos à concretização da operação e a Microsoft já se congratulou com a decisão. "Aguardamos pelo momento em que os nossos parceiros da Nokia se tornaram membros da família Microsoft e estamos muito satisfeitos pelo facto de o Departamento de Justiça ter aprovado o negócio sem limitações", disse um responsável da empresa em declarações à imprensa norte-americana.


A decisão europeia em relação aos impactos do negócio para a concorrência na região é também esperada para os próximos dias. De acordo com cálculos feitos pela Reuters em setembro, o prazo legal para uma decisão termina a 4 de dezembro. Se na UE também não existirem objeções ao negócio a decisão é definitiva. Caso existam, o processo avança para uma fase de investigação aprofundada, que decorre durante mais três meses.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.