O isolamento devido à pandemia de COVID-19 obrigou muitas empresas a alocarem os seus recursos ao teletrabalho e a uma aceleração profunda na sua transformação digital, para salvar o seu negócio. Um estudo conduzido pela AppDynamics, uma empresa da família da Cisco, responsável por soluções de gestão de rendimento das aplicações, revela que 95% dos técnicos inquiridos afirmam que alteraram as suas prioridades tecnológicas devido à pandemia.

O estudo demonstra que os departamentos de TI estão a facilitar o teletrabalho dos seus colaboradores, disponibilizando redes e aplicações, enquanto reforçam a segurança, entre novas funções e responsabilidades acumuladas. O estudo demonstra que 81% dos técnicos de TI afirmam que a COVID-19 colocou os seus departamentos sob maior pressão tecnológica que alguma vez teriam enfrentado. 61% dos profissionais sentem agora mais stress no trabalho do que nunca, mas a maioria, 64% afirmam que estão a realizar tarefas e atividades que anteriormente não eram da sua responsabilidade.

Para 66% dos entrevistados, a pandemia expôs as falhas das suas estratégias digitais, obrigando a acelerar os programas de transformação digital, com orientações criadas há vários anos. Curiosamente, 74% dos inquiridos afirma que os projetos de digitalização que demoravam mais de um ano a serem aprovados, são agora em poucas semanas. E 71% afirma que conseguiu implementar projetos de transformação digital em poucas semanas, invés dos habituais longos meses e anos de demora.

O estudo salienta ainda as fragilidades na experiência digital aos clientes, aspeto que 88% dos profissionais de TI apontam como prioridade tecnológica primordial. É referido que não têm os recursos necessários para realizar esta mudança de prioridades. E são apontados os seguintes problemas: 81% aponta a gestão dos picos de tráfego do website; 80% refere a falta de visibilidade e compreensão unificada sobre o desempenho das soluções tecnológicas e o respetivo impacto nos clientes; e 70% dos técnicos salientam a gestão do tempo médio de resolução com um departamento de TI remoto.

Nesse sentido, os técnicos de TI exigem às suas empresas apoios e recursos específicos para resolver os desafios apresentados. 90% dos técnicos reivindicam metas e objetivos claros; 89% desejam dados em tempo real; 88% querem ter mais autonomia e responsabilidade; e 87% quer ter liberdade para experimentar novas soluções e assumir riscos.

Praticamente a maioria (87%) dos inquiridos do estudo consideram estar perante uma situação em que podem demonstrar o seu valor na empresa; e 80% afirma que a resposta dada pelas suas equipas durante a pandemia alterou positivamente a perceção das TI dentro da empresa.

Estudos anteriores, como o relatório sobre os “Agentes de Transformação, publicado em 2018, dava conta de que seriam necessários 10 anos a concretizar-se uma transformação digital, segundo 45% dos profissionais inquiridos na altura. E devido à pandemia, invés de 10 anos, o objetivo está a ser alcançado neste momento, com 83% dos entrevistados afirmar que tem um papel fundamental para as empresas recuperarem rapidamente da pandemia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.