O Ministério Público do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) está a realizar busca de identificação e apreensão de documentos na Câmara Municipal de Sines. "Estão a decorrer diligências pelas autoridades no interior do edifício da câmara e todos os funcionários encontram-se no exterior", referiu fonte do município à Lusa.

O Público tinha apurado a detenção do chefe de gabinete de António Costa, Vítor Escária, o consultor próximo do Primeiro-ministro, Diogo Lacerda, o presidente da Câmara de Sines, assim como dois executivos de empresas. O Ministério Público esclareceu que esses dois executivos são administradores da sociedade Start Campus, responsável pelo projeto de construção do centro de dados SINES 4.0.

Centro de dados de Sines vai abrir portas a clientes para a primeira fase do projeto
Centro de dados de Sines vai abrir portas a clientes para a primeira fase do projeto
Ver artigo

"Em causa poderão estar, designadamente, factos suscetíveis de constituir crimes de prevaricação, de corrupção ativa e passiva de titular de cargo político e de tráfico de influência", refere a nota do DCIAP.

A investigação centra-se nas concessões de exploração de lítio nas minas do Romano (Montalegre) e do Barroso (Boticas). Também o projeto de central de produção de energia a partir de hidrogénio em Sines, apresentado por consórcio que se candidatou ao estatuto de Projetos Importantes de Interesse Comum Europeu (IPCEI). E por fim, o projeto de construção do centro de dados que está a ser construído na Zona Industrial e Logística de Sines pela sociedade Start Campus.  

O Ministério Púbico referiu também a constituição como arguidos de outros suspeitos da prática de factos investigados nestes autos, designadamente do Ministro das Infraestruturas e do Presidente do Conselho Diretivo da Agência Portuguesa do Ambiente. "A investigação teve ainda conhecimento da invocação por suspeitos do nome e da autoridade do Primeiro-Ministro e da sua intervenção para desbloquear procedimentos no contexto suprarreferido", conclui a nota.

De recordar que a Start Campus, deu as boas-vindas aos primeiros clientes da primeira fase do projeto do centro de dados em hiperescala SINES 4.0. As empresas iniciaram no início de outubro a sua atividade de configuração do primeiro edifício, o NEST (New & Emerging Sustainable Technologies), que começou a ser construído em abril de 2022 que deverá estar totalmente operacional até março de 2024.

Quando foi concluído, o NEST (que teve um orçamento de 130 milhões de euros) terá uma capacidade total de 15 MW de energia, os primeiros de um total de 495 MW. O Megacentro de Dados SINES 4.0 pretende ser um dos maiores campus Hyperscaler Data Centre da Europa e 100% verde, representando um orçamento total de 3,5 mil milhões de euros.

O objetivo do SINES 4.0 é tornar a tecnologia e os dados 100% sustentáveis e a ambição de reduzir a pegada carbónica nesta indústria. O campus será alimentado por instalações de energia renovável 24/7, o que resultará num baixo custo total de operações para os clientes. Espera-se que o SINES 4.0 venha a criar até 1.200 empregos diretos altamente qualificados e ainda 8.000 indiretos até 2028, naquela que se espera ser uma contribuição para a economia e comunidade local.

O SINES 4.0 procura dar resposta à crescente procura de grandes empresas internacionais fornecedoras de serviços de streaming, social media, eCommerce, gaming, educação online, videoconferência, cloud computing, assim como outros de processamento e armazenamento de dados e apps empresariais. O campus vai incluir a construção de cinco edifícios com capacidade de 90 MW cada um. As instalações vão ficar localizadas nos terrenos contíguos à Central Termoelétrica a Carvão de Sines, que foi encerrada.

Nota de redação: Notícia atualizada com mais informação. Última atualização 12h58.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.