Donald Trump e Emmanuel Macron chegaram esta segunda-feira a acordo sobre a "Taxa Google", o imposto implementado no país em julho de 3% sobre as receitas dos serviços digitais das grandes tecnológicas. A notícia da Reuters surge depois de alguma tensão entre os dois presidentes sobre o assunto.

Desta forma, prevê-se que um reembolso por parte da França da diferença entre o imposto francês e um mecanismo a ser pensado pela OCDE. Ainda assim, da mesma forma que avança esta notícia, a Reuters nota que Donald Trump se recusou a comentar se o imposto sobre o vinho francês vai mesmo seguir em frente, algo que avançou depois de o Senado francês ter confirmado a taxa em julho.

Depois de ter encontrado resistência da Irlanda, Dinamarca, Suécia e Finlândia, o governo de Macron foi o primeiro a lançar o seu próprio imposto unilateral, depois de há mais de um ano a Comissão Europeia estar a falar na necessidade de taxar o negócio digital, mas sem medidas concretas. O imposto de 3% aplica-se às receitas de serviços digitais obtidos por empresas com mais de 25 milhões de euros em receitas em França e 750 milhões de euros em todo o mundo.

O acordo foi finalizado depois de as autoridades francesas e dos Estados Unidos concluírem um rascunho de compromisso sobre o imposto francês e da Cimeira do G7 em Biarritz, na qual os líderes mundiais discutiram temas como a transformação digital, as alterações climáticas e oceanos e o comércio. E Emmanuel Macron já tinha expressado a vontade que tinha de negociar com os líderes mundiais uma taxa internacional semelhante à que impôs em França.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.