A Intel é uma das maiores fabricantes de processadores do mundo. Mas a chegada dos dispositivos móveis não foi devidamente acompanhada pela empresa que nos últimos tempos tem-se esforçado para ganhar algum terreno à concorrência – sobretudo à Qualcomm.



Os esforços têm sido vários, através do lançamento de várias gamas de processadores que prometem melhores desempenhos e menores consumos energéticos. Mas a verdade é que chips como o Intel Bay Trail têm surgido sobretudo em tablets e nos smartphones topo de gama é a Qualcomm quem continua a fazer o “pleno”.



Agora a Intel anuncia um investimento massivo de 1,5 mil milhões de dólares num grupo chinês que detém duas fabricantes de chips para dispositivos móveis: a Spreadtrum Communications e a RDA Microelectronics.



Desta forma a Intel espera poder entrar com mais força no maior mercado mundial de smartphones – a China – e que tem ainda um grande potencial de crescimento. Esta acaba por ser uma jogada duplamente estratégica visto que atualmente a Qualcomm está a enfrentar uma investigação por práticas anticoncorrenciais no país asiático, escreve o Engadget.



Com os 1,5 mil milhões de dólares investidos a Intel passa a deter 20% em cada uma das duas fabricantes de chips, que além de fabricarem processadores para dispositivos móveis, estão também a alimentar outras indústrias que necessitam de garantir ligações 2G, 3G e 4G – como o mercado Machine-to-Machine e futuramente a Internet de Todas as Coisas (IoE na sigla em inglês).



De acordo com a nota de imprensa da Intel, é esperado que o acordo entre as empresas fique completo ainda durante a primeira metade de 2015.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.