A KPN prepara-se para processar o governo holandês tentando reaver parte do montante pago pela licença de UMTS adquirida há quatro anos atrás. A operadora de telecomunicações quer recuperar os 120 milhões de euros de imposto que diz estarem incluídos no valor total de 711 milhões de euros pagos ao Estado em 2000.



"Queremos clareza, se o ministério [da economia] não surgir com o dinheiro seguimos para tribunal", garantiu um responsável da KPN em declarações a uma das subsidiárias da agência de notícias AFP.



Já em 2002 a KPN tinha tentado reaver o imposto pago pela licença holandesa para operar em terceira geração móvel, mas sem obter resposta positiva do ministério. Segundo o Governo da Holanda, não existe qualquer valor de imposto de venda incluído no custo total da licença.



O estado holandês não é o primeiro a ser ameaçado com um processo judicial por questões relacionadas com a venda de licenças 3G. No ano passado, a Deutsche Telekom, através da sua filial T-Mobile Austria, e as restantes cinco operadoras de telefonia móvel que ganharam licenças UMTS na Áustria apresentaram queixa para obter o reembolso de parte da quantia paga.



Em Dezembro de 2003, noticiava-se a solicitação de pedido de opinião ao Tribunal Europeu da Justiça por parte dos tribunais austríacos visados (ver Notícias Relacionadas).



Notícias Relacionadas:

2003-12-02 - Operadoras austríacas aguardam parecer do Tribunal Europeu sobre valor pago por UMTS

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.