Esta segunda vaga da pandemia de COVID-19 está novamente a fazer alterações nos hábitos de consumo dos portugueses, destacando mais uma vez o crescimento do e-commerce, numa altura em que as medidas impostas pelo governo estão a ter impacto nas compras realizadas em lojas físicas.

Segundo a SIBS Analytics, durante os meses do verão e até outubro, as vendas físicas, baseado em dados de pagamentos da rede Multibanco, tinham vindo a recuperar da primeira vaga, com um pico entre os meses de julho e setembro em que se registou apenas um decréscimo de 4% face a 2019, quando em março e abril tinha caído 33%. Na primeira quinzena de novembro houve uma nova queda para 12% em relação ao ano passado.

No sentido inverso, 2020 foi um ano de grande crescimento do e-commerce, que manteve sempre a sua curva ascendente desde que teve início o confinamento da primeira vaga da pandemia em março e abril. Na primeira quinzena de novembro, houve um crescimento de 32% nas compras online face ao ano passado.

O valor médio das compras registado nas duas primeiras semanas de novembro foi de 36,2 euros em compras físicas em loja e de 34,4 euros nas plataformas online, com uma variação de valor ao longo do ano de cerca de ~4% e ~7%, respetivamente, refere a SIBS.

Relativamente ao tipo de compras que os portugueses mais fizeram, nas lojas físicas destacam-se os super e hipermercados, a pequena distribuição alimentar e farmácias e parafarmácias. Estes bens essenciais chegaram a representar 60% no pico da primeira vaga entre março e abril, sendo progressivamente reduzido até julho e setembro que registou 45%. Na primeira quinzena de novembro o valor voltou a crescer e já está nos 49%. Atualmente está 5% acima dos valores de janeiro e fevereiro.

Já as compras online, os setores do Entretenimento, Cultura e Subscrições, Comércio Alimentar & Retalho, Restauração, Food Delivery e Take Away representaram uma grande fatia das transações neste canal durante todo o ano, correspondendo neste momento a 40% do total de compras, um crescimento de 12% face ao início do ano.

Em relação às compras pagas através de MB WAY, o serviço teve um grande crescimento face a 2019 segundo a SIBS. Nas compras físicas o sistema de pagamento registou, entre julho e outubro, um crescimento de cerca de 350%. Nos primeiros dias do mês de novembro, o aumento da utilização do serviço face a 2019 situou-se acima dos 300%. Nas compras online, o uso de MB WAY cresceu cerca de 250% em novembro, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.