(Atualizada) A Microsoft terminou o contrato que tinha com a Sitel, uma empresa de contact centres em modelo de outsourcing. O fim da relação entre as duas partes coloca em causa o emprego de 120 pessoas, não sendo certo quantos vão ser realocados e quantos vão ficar no desemprego.

O cessar do contrato é visto como um desinvestimento da tecnológica que sempre fez do call center uma bandeira da aposta que fazia em território português. Ao TeK a Microsoft Portugal refere que o Centro Europeu de Suporte Telefónico vai-se manter, uma equipa de trabalhadores da tecnológica que tem recebido vários prémios a nível interno.

A empresa desmarcar-se também da ideia de desinvestimento: "é preciso esclarecer que não há qualquer intenção da parte da Microsoft internacional em desinvestir em Portugal".

A subsidiária portuguesa da Microsoft garante que a decisão foi tomada pelo grupo internacional e recusa a ideia de que foi responsável pelo despedimento de 120 trabalhadores, já que estes não eram empregados da Microsoft, mas sim de outra empresa.

Por outro lado a Sitel, segundo avançou a agência Lusa, terá comunicado ao Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e das Telecomunicações o despedimento coletivo de 120 pessoas. Alegadamente os serviços que eram garantidos a partir de Portugal vão agora ser assegurados no Brasil e Grécia.

Ao TeK foi garantido que o centro de linguagem natural, outro dos grandes investimentos da Microsoft, vai-se manter em Portugal.

Nota de redação: Notícia atualizada com a reação da Microsoft Portugal


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.