A consultora prevê que em 2018 pelo menos metade dos utilizadores de tablets e smartphones os usem como primeira opção para todas as atividades online, remetendo os computadores para segundo lugar.

O EMC Global Data Protection Index, realizado pela Vanson Bourne, entrevistou 3.300 IT decision makers de PME e grandes empresas em 24 países e revela que o número de incidentes relacionados com a perda de dados está a diminuir em geral. No entanto, o volume de perda de dados durante um incidente está a crescer exponencialmente.

De acordo com o estudo, 64% das empresas inquiridas já passou por uma situação de perda de dados ou de tempo de inatividade nos últimos 12 meses. A maioria das empresas já experimentou mais de três dias de trabalho (25 horas) de downtime inesperados nos últimos 12 meses.

Outra das consequências comerciais na interrupção são as perdas de receita (36%) e os atrasos no desenvolvimento de produto (34%).

O EMC Global Data Protection Index sublinha ainda que tendências como o big data, a mobilidade e a cloud híbrida criam novos desafios para a proteção de dados.

Neste sentido, o estudo revela que 51% das empresas não têm um plano de disaster recovery para nenhum destes ambientes e apenas 6% têm um plano comum a todos. Além disso, 62% consideram o big data, a mobilidade e a cloud híbrida como "difícil" de proteger.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Nota de Redação: Alterado o valor, apresentado inicialmente como milhares de milhões de dólares. O valor original são 1,7 triliões, o que corresponde aos nossos biliões.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.