Nos indicadores para o primeiro trimestre, a empresa portuguesa revela que há cada vez mais lojas a faturarem na rede social criada por Mark Zuckerberg.

Entre janeiro e março, o número de encomendas registadas na plataforma aumentou 40%, face aos três meses anteriores, representando um volume de negócios total de 400 mil euros.

"Se quando foi lançada a Facestore eram poucos os que faturavam, atualmente assistimos a um crescimento muito significativo do número de lojas que fatura no Facebook e no aumento do volume de faturação por loja", refere Paulo Solinho Barbosa CEO da Facestore.

Vestuário, Saúde e Beleza e Alimentação são as áreas predominantes das empresas que apostam na rede social para as suas vendas online. Os particulares preferem apostar nas áreas de Artigos Usados, Obras de Arte e Prestação de Serviços.

"Nestas alturas de crise o que não falta é imaginação e criatividade aos portugueses para tentarem sair dela e é através das redes sociais que muitos negócios estão a acontecer hoje em dia".

A Facestore é uma aplicação que permite a empresas e particulares abrirem uma loja online dentro da sua página do Facebook e venderem os seus produtos diretamente. Os produtos ficam disponíveis na própria página no Facebook, com sistema de pagamentos integrados (Multibanco e transferência bancária), e sistema de portes (CTT, TNT, DHL, etc).

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.