As duas empresas portuguesas estão entre as 64 concorrentes selecionadas pelo programa europeu SME Instrument, de um total de 1.271 propostas e conseguiram um financiamento de cerca de 1,4 milhões de euros cada uma.

A Nano4 Global desenvolveu um teste colorimétrico baseado em nanotecnologias que permite fazer o diagnóstico de tuberculose em 90 minutos em vez dos atuais três dias e a I2S desenvolve software para seguradoras, tendo criado uma plataforma que permite reduzir o tempo de introdução de produtos de seguros no mercado.

Tendo como objetivo apoiar PMEs inovadoras e com capacidades disruptivas, o SME Instrument está dividido em duas fases.

Na primeira são disponibilizados 50 mil euros por cada projeto para financiar o estudo de viabilidade. A segunda fase tem como objetivo apoiar as atividades relacionadas com o desenvolvimento e demonstração da inovação e prevê um financiamento de até 2,5 milhões de euros por projeto.

As duas empresas já tinham ganho na Fase 1 deste instrumento onde tiveram a ajuda da Agência Nacional de Inovação (ANI), através do Gabinete de Promoção do Programa-Quadro (GPPQ), na preparação e apresentação da proposta em Bruxelas.

Com o financiamento das candidaturas da Nano4 Global e da I2S, já são 13 as empresas portuguesas apoiadas na fase dois do SME Instrument, que captaram um total de 22 milhões de financiamento comunitário.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.