As duas empresas portuguesas estão entre as 64 concorrentes selecionadas pelo programa europeu SME Instrument, de um total de 1.271 propostas e conseguiram um financiamento de cerca de 1,4 milhões de euros cada uma.

A Nano4 Global desenvolveu um teste colorimétrico baseado em nanotecnologias que permite fazer o diagnóstico de tuberculose em 90 minutos em vez dos atuais três dias e a I2S desenvolve software para seguradoras, tendo criado uma plataforma que permite reduzir o tempo de introdução de produtos de seguros no mercado.

Tendo como objetivo apoiar PMEs inovadoras e com capacidades disruptivas, o SME Instrument está dividido em duas fases.

Na primeira são disponibilizados 50 mil euros por cada projeto para financiar o estudo de viabilidade. A segunda fase tem como objetivo apoiar as atividades relacionadas com o desenvolvimento e demonstração da inovação e prevê um financiamento de até 2,5 milhões de euros por projeto.

As duas empresas já tinham ganho na Fase 1 deste instrumento onde tiveram a ajuda da Agência Nacional de Inovação (ANI), através do Gabinete de Promoção do Programa-Quadro (GPPQ), na preparação e apresentação da proposta em Bruxelas.

Com o financiamento das candidaturas da Nano4 Global e da I2S, já são 13 as empresas portuguesas apoiadas na fase dois do SME Instrument, que captaram um total de 22 milhões de financiamento comunitário.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.