A Portugal Telecom manifestou-se relativamente à OPA da Sonae SGPS considerando que, não sendo solicitada, a oferta é hostil. Miguel Horta e Costa, presidente da Comissão Executiva da empresa, alertou os accionistas pedindo prudência até que sejam conhecidos mais pormenores da oferta já que, tendo em conta os dados disponibilizados até agora, a proposta da Sonae "não estabelece uma estratégia, ou visão de longo prazo para o grupo Portugal Telecom". Além disso, a operação "sendo feita por uma estrutura com elevados níveis de endividamento poderá implicar o desmantelamento do grupo PT".




A PT acredita que o valor da empresa é superior ao da oferta e que esta tende a restringir a actuação do grupo num sector altamente competitivo e que "exige elevados níveis de investimento".




Numa declaração sem direito a perguntas e respostas, justificada com a falta de informação concreta sobre a proposta da Sonae, Miguel Horta e Costa lembrou ainda as questões concorrenciais levantadas pela oferta, referindo-se à concentração de dois operadores móveis, rede de cobre e rede de cabo.


Notícias Relacionadas:

2006-02-07 - Sonae quer liderança forte para PT e parcerias internacionais inequívocas

2006-02-07 - Sonae alarga OPA à PT Multimédia

2006-02-06 - Sonae SGPS lança OPA sobre Portugal Telecom

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.