O regulador sul-coreano das atividades concorrenciais quer penalizar a Qualcomm em cerca de 853 milhões de dólares pela alegada monopolização do mercado. De acordo com a Bloomberg, a fabricante de processadores de San Diego (EUA) é acusada de impingir aos seus clientes na Coreia do Sul contratos assentes em termos injustos, não negociáveis e que têm como objetivo fazer crescer a quota de mercado da empresa no país através do prejuízo da concorrência.

Um especialista em litígios de patentes acredita que o veredito da autoridade reguladora não só vai beneficiar os fabricantes locais de dispositivos móveis, como outras marcas de processadores em todo o mundo.

Jung Dong-joon acrescenta ainda que a Coreia do Sul representa cerca de 20% do total de vendas da Qualcomm.

Segundo consta, a empresa norte-americana já reagiu ao veredicto do órgão sul-coreano, dizendo que é “insuportável” e que vai recorrer da decisão.

Não é a primeira vez que a Qualcomm se encontra envolvida num caso de concorrência desleal. Em fevereiro de 2015, as autoridades chinesas acusavam-na de obrigar os seus clientes locais a pagarem preços demasiado avultados para terem acesso às suas tecnologias patenteadas.

Como resultado, além de uma coima de 975 milhões de dólares que foi obrigada a pagar, a fabricante de chips fez algumas concessões, entre as quais a redução do preço cobrado às marcas de dispositivos que utilizam os seus processadores.

Caso este cenário se venha a repetir, a Samsung, “nascida e criada” na Coreia do Sul, será muito provavelmente um dos grandes beneficiários deste processo, tendo em conta que é o segundo maior cliente da Qualcomm.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.