O TikTok está na mira do regulador irlandês da privacidade. A rede social chinesa vai ser alvo de duas investigações, relacionadas com a forma como gere os dados dos utilizadores, sobretudo os mais novos e transfere informação para fora do espaço da União Europeia.
A análise visa perceber se a empresa está a respeitar os requisitos impostos pelo Regulamento Geral da Proteção de Dados. Segundo a BBC, em causa está, num dos processos, a forma como a rede social chinesa processa dados de utilizadores com menos de 18 anos e as medidas em vigor para verificar a idade dos menores de 13 anos.

Um segundo processo está centrada na transferência de dados pessoais para fora da UE, nomeadamente para a China.

O TikTok já reagiu e garante que a privacidade é a sua maior prioridade, a empresa garante também ter disponibilidade total para colaborar com o regulador irlandês da privacidade e recorda que este ano já fez várias alterações no serviço, para melhorar a segurança e privacidade dos utilizadores.

Recorde-se que nos últimos meses o TikTok já fez algumas alterações importantes às suas políticas. Em agosto, a empresa anunciou que ia deixar de enviar notificações para os utilizadores durante parte do dia, a fim de não contribuir para distrações nem reforçar demasiado o apelo para usar o serviço. Um mês antes garantiu que tinha eliminado milhões de contas pertencentes a utilizadores com menos de 13 anos (idade mínima para usar a plataforma). No início do ano, a plataforma já tinha também mudado regras para tornar todas as contas de menores de 16 anos privadas por defeito.

TikTok ultrapassa os 3 mil milhões de downloads: uma história com muitos "altos e baixos"
TikTok ultrapassa os 3 mil milhões de downloads: uma história com muitos "altos e baixos"
Ver artigo

Em abril, Anne Longfield, ex-comissária da proteção das crianças em Inglaterra, promoveu uma ação legal contra o TikTok no Reino Unido motivada pelas mesmas preocupações que o regulador irlandês agora demonstra. Em causa estava a forma como a aplicação recolhe e utiliza os dados de milhões de crianças no Reino Unido e União Europeia.

A acusação afirmava que o TikTok tem acesso a informações pessoais das crianças, incluindo números de telefone, vídeos, localização exata e dados biométricos, sem fornecer informação clara sobre isso, obter as autorizações necessárias dos visados, ou explicar o que faz com esses dados.

Um mês depois, em maio, anunciava também que a Comissão Europeia e a Rede de Centros Europeus dos Consumidores tinham lançado um diálogo formal com o TikTok, para que a empresa a cargo da popular aplicação revisse as práticas e políticas comerciais, sobretudo, aquelas que são dirigidas a crianças. Este diálogo foi motivado por um alerta da rede para violações dos direitos dos consumidores da União Europeia por parte do TikTok.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.