Apesar de muitas ajudas no combate à crise gerada pela COVID-19 serem anónima, muitos são os nomes divulgados que estão ligados à doação de “pequenas” fortunas para aliviar o impacto da pandemia. No final de abril, a Forbes criou uma lista de 77 bilionários que fizeram doações para diferentes causas ligadas ao combate do coronavírus, compilados num Top 10 pela Statista.

O mais generoso foi, sem margem de dúvida, o CEO do Twitter e da Square, Jack Dorsey, que decidiu doar um quarto da sua fortuna pessoal, o correspondente a mil milhões de dólares. Apenas no segundo lugar aparece o casal Bill e Melinda Gates cuja fundação doou 255 milhões de dólares, fechando-se o pódio com a doação de 132 milhões de Azim Premji, da empresa tecnológica indiana Wipro.

tek statista doações covid-19

A lista é composta sobretudo por bilionários americanos, com nomes como Jeff Bezos, o patrão da Amazon que disponibilizou 100 milhões ou Michael Bloomberg com 74,5 milhões de dólares. Mas há ainda um nome australiano no top 10, Andrew Forrest produtor de ferro da Fortescue Metals.

A título de curiosidade, Donald Trump, que tem uma fortuna avaliada em 2,1 mil milhões de património líquido, passou um cheque de 100 mil dólares, correspondendo a um quarto do seu salário como Presidente dos Estados Unidos, ao Departamento de Serviços de Saúde. Este valor da doação corresponde a 0,005% do seu património…

Em Portugal também se fazem doações às entidades de combate à COVID-19, e a Aliados Consulting e a FES Agency criaram o portal Observatório de Doações COVID-19. A plataforma vai sendo atualizada com o nome das pessoas, fundações e empresas que fizeram doações, por área de atividade, assim como o destino dos montantes.

As doações portuguesas já ultrapassaram os 35 milhões de euros, com uma percentagem maior com origem nas fundações, de quase 6 milhões de euros (36% do total), seguindo-se o Sistema Financeiro com 3,2 milhões (19,5%) e as Associações Empresariais com 1,25 milhões de euros (7,6%).

tek doações covid-19

Já o principal destino das verbas é a compra de ventiladores, que soma 11,5 milhões do total (32,5%), seguindo-se a Resposta Global à COVID-19 em pedido pela União Europeia de 10 milhões de euros (28,2%) e projetos de adequação à nova realidade, com 5 milhões de euros (14,2%). De recordar que ainda hoje foram entregues 100 Ventiladores Atena aos hospitais, que contou com 1,2 milhões de recolhas de fundos em crowdfunding.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.