Os dados divulgados esta terça-feira são da Strategy Analytics e indicam um aumento de 44% do número de dispositivos distribuídos do mercado, chegando a 12,3 milhões no 2º trimestre deste ano. Entre esse período e o mesmo trimestre de 2018, a distribuição passou de 8,6 milhões de unidades para 12,3, pelo que o analista da Strategy Analytics fala num "aumento impressionante".

Esse crescimento está relacionado com a aposta na atividade física por parte dos utilizadores. "O crescimento do smartwatch continua a subir, à medida que os consumidores acedem cada vez mais aos seus smartphones com wearables de fitness", explica Steven Waltze.

Em concreto, a Apple colocou no mercado 5,7 milhões de unidades a nível global no 2º trimestre de 2019, quando no período homólogo foram 3,8 milhões de unidade. Trata-se de um aumento de 2% num ano, aproximando-se de quase metade das distribuições globais, com 46,4%. "A Apple continua a ser o líder do mercado de smartwatches claro", explica Neil Mawston, diretor executivo da analista.

tek apple watch
Distribuição de smartwatches no 2º trimestre de 2019

Neste último trimestre de 2019, a Samsung distribuiu 2 milhões de unidades de smartwatches, valor que duplicou face ao mesmo período do ano passado, um crescimento bastante superior em relação ao Apple Watch. "Os novos modelos, como o Galaxy Watch Active 2, devem permitir à Samsung solidificar a sua presença global de smartwatches até ao final do ano”, observa Steven Waltze. A marca representa 16% do valor das vendas mundiais.

A ocupar a terceira posição, a Fitbit distribuiu 1,2 milhões de smartwaches, a única no top 3 a registar uma descida face ao período homólogo, neste caso de 100 mil unidades. As distribuições dos seus modelos representaram 10% a nível global.

"A Fitbit terá de atuar rapidamente para recuperar, porque a Samsung, a Garmin, a Fossil e outros concorrentes estão ansiosos para pegar numa fatia dos seus valiosos clientes de saúde e fitness”, afirma o diretor executivo da Strategy Analytics.

As vendas de wearables no último trimestre de 2018 foram lideradas pela Apple, com um aumento do Apple Watch e dos AirPods na estratégia comercial da empresa da maçã. Na altura, eram dois dos produtos mais rentáveis da marca norte-americana e ao que tudo indica a Apple parece continuar a apostar nestes modelos em 2019.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.