Os planos iniciais para a instalação da central são indicativos de que esta será responsável por gerar cerca de 200 gigawatts de energia por ano. O valor equivale a um terço do total fornecido pela indústria da energia solar em 2017. A SoftBank adianta ainda que serão criados mais de 100 mil postos de trabalho em torno desta infraestrutura. Ao todo, a central terá um custo de 200 mil milhões de dólares.

O plano faz parte da estratégia da Arábia Saudita para o sector energético, que ainda se encontra muito dependente das energias fósseis, sendo que o petróleo é a fonte que mais predomina na região.

Em 2016, a capacidade de produção de energia elétrica do país era de apenas 77 gigawatts. Este número era gerado com base em explorações de gás natural e petróleo. Se concretizado, este projeto tem potencial para triplicar este valor.

Masayoshi Son, fundador e atual CEO da empresa japonesa, disse à imprensa que a "Arábia Saudita tem imensa luz natural, muito terreno disponível e grandes engenheiros, grande mão de obra, mas, mais importante do que isso, a melhor e a maior visão de futuro".

O trabalho de cooperação entre a multinacional e o executivo saudita não é de agora. Já em 2017, ambas as partes criaram um dos maiores fundos de investimento para o sector tecnológico com 83 mil milhões de euros disponíveis.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.