Um estudo da IDC revela que o Windows Vista irá suportar mais de um milhão de empregos na área das TI, criando 50 mil novos postos de trabalho na Europa e gerando receitas de 32 mil milhões de euros nas empresas de TI da região, só em 2007. Esta receita será obtida através da comercialização de produtos e serviços por parte das empresas associadas à Microsoft.



De acordo com o documento, por cada euro gasto pela Microsoft com o Vista as empresas TI que integram o seu ecossistema podem ganhar 13 euros. No que se refere aos postos de trabalho e aumento da receita, a consultora acredita que 150 mil empresas possam beneficiar positivamente do lançamento do software. De sublinhar que estas empresas concentram 65 por cento dos gastos TI realizados na zona económica europeia.



O estudo foi apresentado pela Microsoft em Bruxelas e envolve seis países: Alemanha, Reino Unido, França, Dinamarca, Polónia e Espanha. Nestes países são esperadas 30 milhões de instalações do Vista durante o primeiro ano de comercialização do software. Em todo o mundo esperam-se 105 milhões de instalações durante o mesmo período.



Na semana passada a Microsoft tinha alertado para a possibilidade de atrasos no lançamento do Vista na Europa, consequência de possíveis imposições da UE relativamente às características do produto. Ontem um executivo da empresa recuou e disse que para já não existem indícios que apontem para atrasos no lançamento europeu.



O mesmo responsável referiu que a Microsoft já pediu à Comissão Europeia para lhe dar conhecimento de eventuais alterações a fazer ao software para que este possa ser lançado a tempo na Europa, cumprindo a legislação da concorrência em vigor.



Os impactos da venda da nova versão do sistema operativo em Portugal não foi estudado.


Notícias Relacionadas:

2006-09-08 - Microsoft alerta para a possibilidade de atrasos no lançamento europeu do Vista

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.