Embora seja uma das maiores vendedoras de smartphones do mundo, a Xiaomi concentra a quase totalidade do seu negócio na China. A empresa tem pretensões internacionais assumidas e agora, graças um investimento de mil milhões de dólares, deverá colocar em marcha um plano para consagrar a sua expansão além-fronteiras.

Xiaomi projeta vendas de 100 mil milhões de yuan em 2017
Xiaomi projeta vendas de 100 mil milhões de yuan em 2017
Ver artigo

O dinheiro, proveniente de um sindicato de 18 bancos de várias regiões do globo, vai ser utilizado para levar a marca a outros países e para solidificar os negócios de retalho da tecnológica, quer online, quer offline.

Lei Jun, atual CEO da empresa, afirmou recentemente que a empresa espera atingir a marca dos 100 milhões de smartphones vendidos em 2018. No segundo trimestre deste ano, a Xiaomi já registou um crescimento nas vendas, com 23,16 milhões de unidades expedidas, mais 70% do que nos três meses anteriores.

Jun acredita que este número pode crescer à medida que as linhas de produção forem otimizadas para conseguir corresponder à procura.

A tecnológica chinesa só abriu as suas primeiras lojas oficias no passado mês de maio. Antes disso, as vendas eram feitas exclusivamente online. Por enquanto, a empresa conta já com 149 lojas na China e 137 no resto do mundo. Com este investimento, porém, deverá abrir mais 2 mil ao longo dos próximos três anos.

Lei afirmou ainda que a empresa tem por meta ultrapassar a marca dos 70 mil milhões de yuan (883 milhões de euros) em receitas com vendas offline durante os próximos cinco anos.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.