Mais de um ano depois da atribuição das licenças de quinta geração móvel as operadoras em Portugal ainda continuam sem cobrar pelos serviços. em janeiro de 2022 a MEO, NOS e Vodafone avançaram com um modelo de "experimentação" grátis em todos os tarifários, que foram alargando consecutivamente.

A última extensão de data tinha sido definida em novembro e terminava ontem, a 15 de janeiro de 2023. O SAPO TEK tinha questionado as operadoras para perceber qual seria a estratégia a aplicar depois disso, sem conseguir uma resposta.

Hoje a Vodafone atualizou o seu site de 5G com a informação de que "Até 31 de março de 2023 todos os nossos tarifários terão 5G disponível automaticamente, sem exceção e sem encargos adicionais. Experimente já!"

vodafone 5G

Fonte da Vodafone confirmou ao SAPO TEK que "Completado o primeiro ano de operação comercial, cerca de 15% da base de clientes da Vodafone Portugal já usa a rede 5G, percentagem que tem vindo a aumentar progressivamente nos últimos meses, para o que tem também contribuído a disponibilidade crescente de equipamentos compatíveis com a rede 5G entre a oferta comercial da Vodafone".

A MEO já confirmou também que os seus clientes não vão pagar nenhum valor adicional para continuarem a usar o 5G, uma extensão da utilização gratuita que se estende até 31 de março a todos os tarifários para quem já tem equipamentos que suportem a rede de nova geração.

Fonte oficial da Altice Portugal adianta que a empresa "começou, desde muito cedo, a trabalhar no 5G, estando hoje destacada ao nível do mercado e do setor, com soluções que abrangem várias áreas da sociedade".

"Continuamos empenhados no rollout desta rede móvel, que atualmente apresenta uma taxa de cobertura da população portuguesa com 5G da MEO de 85%, sendo ainda o operador que detém estações de base 5G num maior número de municípios - 218", indica a mesma fonte.

A dona da MEO escreve ainda, em resposta ao SAPO TEK, que em 2022, o tráfego de dados móveis registou um aumento superior a 75%, contribuindo para este aumento o 4G e o 5G.

o número de clientes com terminais 5G situa-se "na ordem das centenas de milhar", com a MEO a indicar que 60% do parque de equipamentos MEO é 5G e que o seu portefólio de smartphones inclui sempre os mais recentes equipamentos lançados no mercado.

A NOS já atualizou também a informação no seu site, indicando que vai dar aos seus clientes a utilização gratuita do 5G até à mesma data.

5G a avançar, mas sem cobrar tarifários

O leilão de 5G ter dominou o ano de 2021, com licitações que que se arrastaram por mais de 9 meses e que resultaram num encaixe de 566,8 milhões de euros para o Estado com a compra de licenças, 410 milhões dos quais pagos ainda nesse ano, mas as operadoras que ganharam o concurso ainda não cobraram nem 1 euros de serviços aos seus clientes.

Seis empresas ganharam acesso ao espectro do 5G, adquirindo lotes que permitem lançar os serviços, usando as várias frequências disponibilizadas e a MEO, NOS e Vodafone Portugal avançaram com os serviços quase imediatamente, mas em regime de “experimentação gratuita. Primeiro devia durar até 15 de janeiro de 2022 mas acabou por se ir estendendo quase mês a mês, com as empresas a admitirem em novembro que o uso gratuito era prolongado até 15 de janeiro de 2023.

Das três novas entrantes no mercado, a Dense Air, NOWO e DIXAROBIL, ainda há poucas notícias, sabendo-se que estarão a preparar as operações. No caso da NOWO a situação ganhou novos contornos com a proposta de aquisição pela Vodafone Portugal, que está ainda a ser analisada pela Autoridade da Concorrência e que já teve um parecer da ANACOM que defende alguns “remédios” para o negócio avançar, entre os quais a retirada das licenças 5G da operadora.

A falta de pacotes 5G, ou da cobrança adicional nas mensalidades dos clientes, não quer dizer que a rede de nova geração não está a avançar. Os operadores têm vindo a investir na infraestrutura e em desenvolvimento de serviços, com casos de aplicação sobretudo em empresas, embora ainda sem grandes exemplos para mostrar para além dos “casos bandeira”.

Os últimos números da ANACOM indicam que o  5G já representa 15% do tráfego móvel de dados em setembro no mercado português e que a cobertura do 5G em Portugal aumentou 48% no 3º trimestre e chega a a 88% dos concelhos do país, mas ainda há muitas freguesias sem a nova geração móvel.

Ao contrário do que aconteceu com o 3G e o 4G, não faltam telemóveis e equipamentos que suportam o 5G, existindo mais de 1.000 modelos homologados.

Veja alguns dos equipamentos 5G no mercado

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com a informação da MEO. Entretanto também a NOS atualizou a informação no site. Última atualização 14h44

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.