Um novo estudo revelou que muitos franceses em zonas rurais têm hoje uma experiência 5G muito mais satisfatória que os utilizadores da mesma tecnologia móvel, em várias cidades de outros países europeus. O resultado surpreendente, tendo em conta que as zonas urbanas foram as primeiras a receber 5G e estão teoricamente melhor equipadas que as zonas rurais, foi apurado num estudo da Opensignal.

A pesquisa comparou a velocidade das ligações em várias zonas rurais de França com a velocidade disponível em áreas urbanas dos países vizinhos, nomeadamente Alemanha, Itália, Espanha, Suíça e Reino Unido.

França Rural com melhor internet que várias cidades europeias
créditos: Opensignal

Conclui-se que na França rural a velocidade de download disponível para os utilizadores de serviços 5G é, em média, de 215,6 Mbps.na Suíça, quem mora no campo tem igualmente acesso a 5G acima dos 200 Mbps e só na Suíça e em Espanha, mesmo quem mora em áreas urbanas, pode contar com o mesmo tipo de experiência.

Em todos os países comparados, os utilizadores de zonas urbanas têm uma experiência mais lenta com o mesmo tipo de serviço que em França. A menor diferença revela-se na comparação com a Suíça. As maiores na comparação com Espanha e com o Reino Unido.

FRança Rural com melhor internet que várias cidades europeias
créditos: OpenSignal

O estudo também permite verificar os países onde a disparidade na qualidade do serviço móvel entre zonas urbanas e rurais é maior. Em França essa diferença é de 8,5%. Na Suíça é ainda mais reduzida. Em Espanha e na Alemanha é bastante significativa.

Vale a pena lembrar que o 5G em França foi lançado mais tarde que na maior parte dos países alinhados para esta comparação. O lançamento dos primeiros serviços aconteceu em dezembro de 2020.

As redes móveis portuguesas foram este ano premiadas pela velocidade e qualidade, durante o Mobile World Congress. Segundo a MedUX, a velocidade média de download em Lisboa ficou acima de 537 Mbps, e a velocidade de upload acima de 53 Mbps. Neste indicador, o Porto ficou em segundo lugar, mas com taxas mais lentas que Lisboa em 15 e 33%, repetivamente. A NOS voltou a ser distinguida com a rede mais rápida da Europa.