Um investigador da Universidade do Minho concluiu na tese de doutoramento que pode ter havido corrupção no processo de introdução da Televisão digital Terrestre em Portugal. No trabalho são apontadas "interferências políticas e económicas" no processo, que terão levado a Anacom a favorecer a Portugal Telecom. São identificados "fortes indícios" de corrupção.



Em declarações ao Negócios o Sérgio Denicoli, investigador do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho defende que "na verdade, houve uma TDT planeada muito diferente da TDT que foi implementada", conclusões às quais chegou depois de vários anos a estudar o modelo português para a TDT.



"A TDT que temos hoje foi feita para não funcionar, para apresentar falhas, para oferecer poucos canais e serviços interativos limitados, de forma a incentivar a migração da população para serviços de TV por subscrição".



"O sinal da Televisão Digital Terrestre apresenta falhas constantes, devido a erros técnicos que poderiam ser evitados", acrescenta o investigador que na tese sublinha o facto de entre 2009 e 2012 - período de implementação da TDT - a TV paga ter crescido cerca de 32%, uma evolução que relaciona com a fraca oferta da televisão digital.



Sérgio Denicoli sublinha que as conclusões a que chegou na tese de doutoramento não lhe permitem "afirmar categoricamente que houve corrupção" e nota que "cabe à Justiça tal constatação", mas defende que as conclusões a que chegou levam "a crer que pode ter havido a captura do regulador pela PT, ou seja, a Anacom teria trabalhado em favor da Portugal Telecom, o que configura, segundo a Transparência Internacional, uma espécie de corrupção, pois utiliza algo público de forma a garantir lucros privados".



A Anacom foi entretanto contactada pelo Público, que também avançou a notícia. Fonte oficial da operadora faz notar que "foi lançado um concurso público internacional" para escolher a empresa prestadora de serviços ao qual só se apresentou a PT, também contactada pelo jornal e que não quis comentar o assunto.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.