O alerta foi feito pela Anacom, que avisa que os CTT vão cessar a atividade de operador móvel virtual Phone-ix já a 1 de janeiro de 2019. Os clientes do serviço vão receber uma mensagem escrita para os informar da situação.

A licença de operador móvel virtual - que na prática permite que qualquer empresa preste serviço de telecomunicações sem ter rede, subcontratando o serviço - foi entregue aos CTT em 2007 e em novembro os correios avançaram com o serviço que incluía a oferta de smartphones Nokia a 29 euros.

Agora a empresa vai abandonar o Phone-ix, mas os clientes que pretenderem podem manter os mesmos números de telemóvel, fazendo a portabilidade para outros operadores. Segundo a Anacom, esta portabilidade pode ser pedida desde já, mesmo sendo o serviço interrompido a 1 de janeiro.

Depois desta data os clientes do Phone-ix têm ainda 3 meses para mudar de operador, sendo que todos os operadores têm de continuar a garantir o encaminhamento de chamadas para estes números.

"A ANACOM notificou a Entidade de Referência da portabilidade (empresa que gere a base de dados dos números portados) desta cessação, para que esta entidade se substitua aos CTT nos processos de portabilidade dos números para outros prestadores, a partir de 1 de janeiro de 2019", refere ainda o regulador do mercado.

Segundo os últimos dados da Anacom, no final do primeiro semestre de 2018 os CTT detinham 0,1% dos clientes móveis ativos, o que corresponderá a cerca de 12,3 mil clientes.

tek phone-ix

Os CTT foram o primeiro operador móvel virtual a operar em Portugal, mas este foi um modelo que teve dificuldade em vingar no mercado português onde os três grandes - MEO, Vodafone e NOS, detêm 98% do mercado de acessos móveis ativos.

Nota de Redação: A notícia foi atualizada com mais informação. Última atualização 18h44

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.