A Volkswagen Autoeuropa (VW-AE) adoptou há poucos dias um conjunto de normas estabelecidas pela empresa-mãe, a nível internacional e que pretendem proteger a empresa das novas tecnologias, enquanto potenciais ferramentas de espionagem. Assim, o uso de "meios de recolha e transmissão de imagens" como câmaras fotográficas, vídeos digitais e telemóveis com câmara dentro das instalações da empresa carecem de autorização específica ou pura e simplesmente ficam proibidos.



No caso das câmaras fotográficas, câmaras vídeo e telemóveis com câmara fotográfica, pertencentes aos trabalhadores o regulamento "proíbe a sua entrada nas instalações da VW-AE", detalha o documento. Ficam igualmente proibidos qualquer outro tipo de equipamentos com as mesmas funcionalidades. Esta regra - recolha e transmissão de imagens dentro das instalações - pode apenas ser quebrada com autorização expressa do director da respectiva área e confirmação dos recursos humanos ou segurança.



O mesmo sucede com equipamentos propriedade da empresa. Estes devem ser obrigatoriamente registados no departamento de segurança da Autoeuropa com informações identificativas de marca, modelo, número de série do equipamento, área de utilização, nome, número de colaboradores autorizados a utiliza-lo, etc.



Para fornecedores ou visitantes são aplicáveis regras semelhantes com as autorizações a ser cedidas em condições muitos especificas e a apenas possível com a cedência de dados precisos sobre os objectivos de utilização dos aparelhos.



Recorde-se que a holding alemã adoptou o regulamento em causa há já alguns meses e logo na altura tornou pública a sua intenção de fazer correr o procedimento a todas as suas filiais. Na altura, a VW explicou que a decisão não se prendia com suspeitas sobre qualquer forma de espionagem em curso, mas se apresentava como uma forma de proteger os segredos de cada novo modelo de situações potenciais.



O incumprimento destas normas, por parte dos funcionários, conduzirá à retenção dos aparelhos que serão posteriormente analisados para garantir que a sua utilização não se prendeu com a recolha de informação para fins concorrenciais. Para garantir o cumprimento destas regras a empresa assegura a colocação em todas as portarias da sinalização devida.



A proibição de meios de recolha e transmissão de imagem são uma realidade para muitas empresas europeias e asiáticas, sobretudo nas áreas de tecnologias de informação, máquinas e motores. A coreana Samsung foi uma das primeiras a adoptar um regulamento deste tipo.



Notícias Relacionadas:

2003-08-06 - Espionagem industrial via telemóvel causa preocupação crescente a nível mundial

2003-07-08 - Samsung proíbe o uso de telemóveis com câmara nas suas fábricas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.