Ricardo Cabral tem 29 alunos é doutorado em engenharia eletrónica e de computadores pelo programa CMU, que junta o Instituto Suprior Técnico e a universidade de Canegie Mellon nos Estados Unidos.

A tese que lhe valeu o prémio está centrada na visão computacional e tem como tema a "Unificação de modelos low-rank para problemas de aprendizagem visual", tema que dá titulo ao trabalho.

Neste trabalho, o investigador estudou modelos de aprendizagem "low-rank": observou a abordagem mais tradicional, descoberta há três décadas, e uma outra, proposta mais recentemente para a substituir e descobriu um modelo que engloba as duas estratégias e que "permite unificar as vantagens de ambas", explica o vencedor, citado num comunicado.

Na prática, o trabalho desenvolvido ajudou a entender melhor os modelos e fazer progressos nas aplicações que daí resultam, em áreas como a visão ligada à robótica, realidade virtual, efeitos especiais ou navegação e mapeamento do território. O prémio científico IBM distingue trabalhos de investigação na área das ciências da computação e Tecnologias da Informação e em 2015 assinala os 25 anos de existência.

O vencedor do prémio leva para casa 15 mil euros. No caso de Ricardo Cabral, a casa é neste momento fora de Portugal, já que o investigador está a trabalhar nos laboratórios da Apple nos Estados Unidos.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.