A Ephemera nasceu para divulgar os espólios, acervos, livros, periódicos, manuscritos, panfletos, fotos, objetos que constituem o arquivo pessoal de José Pacheco Pereira, como o próprio descreve. Tal como os espaços físicos por onde tem distribuído essa coleção, a plataforma eletrónica tem como principal objetivo torná-la acessível a todos.

A atualização de conteúdos é frequente e ainda no final do ano se fez com dois novos núcleos de documentação: o espólio do Centro Cultural de Almada e o da revista Mundo da Canção. A diversidade de documentos e de formatos, com muitas imagens de momentos marcantes da história recente do país e a exclusividade de muitos destes documentos, estão entre os aspetos de destaque da Ephemera.

Fora do ciberespaço, o arquivo e biblioteca de Pacheco Pereira está atualmente distribuído por três locais. O maior e mais antigo na vila da Marmeleira no Ribatejo, onde em linha reta estarão mais de cinco quilómetros de prateleiras com documentos. Mais recentes, e abertos ao público, no edifício da Faculdade de Ciências de Comunicação da Universidade do Porto e em Lisboa, na livraria Ler Devagar na Lx Factory.  

 Nota de redação: Corrigida informação sobre a região a que pertence a localidade de Marmeleira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.