O tempo de exposição que cada aplicação consegue neste ambiente altamente concorrencial é uma das razões que justificam que dois terços das apps sejam classificadas como zombies, conseguindo poucas dezenas de downloads, ou mesmo nenhum, como revela uma investigação da Adeven.

Quando foi lançada, a 10 de junho de 2008, a lojas de aplicações da Apple contava com pouco mais de 500 apps listadas, mas o sucesso da plataforma móvel, e o interesse gerado junto dos programadores, multiplicou rapidamente os números.

Seis meses depois a loja já tinha ultrapassado os 500 milhões de downloads e daí para a frente foi sempre a somar.

Depois de ter celebrado ontem os cinco anos de existência a App Store aproxima-se rapidamente do milhão de aplicações, e já assinalou os 50 mil milhões de downloads, com cerca de 800 aplicações a serem descarregadas a cada segundo, numa taxa que ultrapassa já os dois mil milhões de downloads por mês.

E o sucesso é assinalado também do lado dos programadores, que já ganharam mais de 10 mil milhões de dólares pelo download de jogos, ferramentas de produtividade e outras apps que artilham o iPhone, iPad e iPod Touch.

Para assinalar o aniversário, a Apple lançou esta semana uma promoção, disponibilizando de forma gratuita aplicações pagas, algumas com valores que podiam chegar aos 20 euros, numa campanha de saldos que pode ser útil para muitos utilizadores e que inclui algumas das apps mais procuradas.

Muitas destas apps têm sido motivo de notícia no TeK, mas hoje convidamos os leitores a uma viagem pelas aplicações que suportam o sucesso da App Store - ou do ecossistema de aplicações móveis - e que garantiram uma larga fatia dos downloads e receitas registados nestes cinco anos, numa lista preparada pela própria Apple.

O domínio dos jogos
Não é nenhuma surpresa que os jogos são dominantes nesta lista. Quem não se lembra do Candy Crush Saga, onde uma mecânica simples mantinha o utilizador agarrado ao ecrã do telemóvel?

[caption]Candy Crush Saga[/caption]

Com mais de 6,7 milhões de utilizadores ativos, esta app está em primeiro lugar na lista das que geraram mais receita no tempo de vida da loja de aplicações, muito devido às compras dentro da aplicação, mesmo que a Apple não revele os valores pagos.

O modelo freemium tem ganho cada vez mais espaço, permitindo a instalação gratuita das aplicações mas envolvendo depois os utilizadores num enredo que propicia a compra de elementos - muitos são diamantes - que servem para prosseguir as tarefas propostas.

Números não oficiais indicam que a King.com Limited, que desenvolveu a aplicação, pode estar a ganhar cerca de 633 mil dólares por dia, o que corresponde a cerca de 230 milhões de dólares por ano com este modelo. Um número bastante doce...

Em segundo lugar nas apps mais lucrativas aparece o Clash of Clans, onde a gestão de uma vila, as guerras de clãs e a defesa do território ocupam os fãs, que naturalmente compram também muitos produtos e ferramentas para se prepararem melhor para as batalhas...

O Pandora Radio é a única aplicação que foge ao domínio dos jogos no top 10 das mais lucrativas, uma posição justificada pela compra de assinaturas do Pandora One para ouvir música sem limitações.

[caption]Pandora[/caption]

Os heróis da Marvel garantem a quarta posição, com o carimbo oficial d Marvel Universe onde pontuam o Homem Aranha, Homem de Ferro e os Quatro Fantásticos.

Mais bucólico, o Hay Day recupera a experiência dos agricultores digitais, um modelo que se tem revelado bem sucedido. No ecrã o trabalho de cultivar couves, cuidar de porcos e galinhas é mais fácil, mas há sempre a necessidade de comprar alguns diamantes para pagar as despesas. E uma arca de diamantes pode custar quase 90 euros...

O interesse de mais de 7,5 milhões de jogadores catapultou o Kingdoms of Camelot: Battle for the North para a liderança da App Store em quase 70 países, mesmo que isso não se reflita completamente em lucros. Muitos dos fãs tinham sido conquistados na versão web do jogo e transportaram o entusiasmo para o telemóvel.

O sucesso de títulos nos ecrãs de cinema também dá lugar a algumas das apps mais lucrativas, como o The Hobbit: Kingdoms of Middle-earth, que é sétimo na lista, e o The Simpsons™: Tapped Out, que fica em oitavo lugar atraindo os fãs da série para a recuperação da cidade de Springfield.

[caption]The Hobbit[/caption]

Em último lugar surgem o mundo de blocos do Minecraft e o jogo de basebol MLB.com, embora isso signifique certamente uma transferência bancária mensal com um volume de números que muitos programadores gostariam de conseguir...

Quem quer fazer apostas sobre as apps mais lucrativas dos próximos meses?

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.