O ex-presidente norte-americano Donald Trump está de volta ao Twitter, agora X. A primeira publicação em mais de dois anos é a sua foto da detenção esta quinta-feira, depois de se ter entregue às autoridades do condado de Fulton, em Atlanta. Juntamente com a foto estão as expressões “interferência eleitoral” e “nunca se render”.

A conta de Trump no Twitter tinha sido bloqueada pela administração anterior da rede social, na sequência do incidente no Capitólio. Em novembro do ano passado, e já com Elon Musk na liderança da plataforma, foi lançado um inquérito aos utilizadores a perguntar se a conta do ex-presidente deveria manter-se suspensa, ou se deveria ser reativada. Atraiu 15 milhões de votos.

A decisão de reativar a conta foi a vencedora da votação, mas na altura Trump disse que não tinha interesse em voltar à rede social, porque estava satisfeito com o sucesso da plataforma que ele próprio tinha lançado entretanto, a Truth Social. Agora mudou de ideias e aproveitou a publicação na X, não só para reagir ao mandado de detenção relacionado com as acusações de interferência no resultado das últimas eleições presidenciais a que se candidatou, mas também para remeter quem vê a publicação para o seu site de campanha.

Trump, recorde-se, apresenta-se novamente como candidato republicano para a próxima corrida à Casa Branca e as sondagens mostram que é, pelo menos por agora, o mais popular dos pré-candidatos republicanos.

No caso que motivou a sua detenção esta quinta-feira está acusado de conspiração e outros crimes para manipular os resultados eleitorais no Estado da Geórgia, nas eleições presidenciais norte-americanas de 2020.

Os media locais referem que Trump tinha assinado um contrato de exclusividade com a rede social Truth Social para um período de 18 meses, que terminou no passado mês de junho. A plataforma, onde conta com 6,4 milhões de seguidores, foi o principal meio de difusão de ideias do ex-presidente durante largos meses. A audiência de Trump na X mantém-se, no entanto, muito superior, aproximando-se dos 87 milhões de seguidores. A primeira publicação do ex-presidente neste seu regresso à plataforma conta já com mais de 860 mil gostos e quase 70 mil comentários.

A X foi também utilizada esta quarta-feira por Trump para divulgar uma entrevista concedida a um comentador conservador, emitida na mesma altura em que a Fox News exibiu um debate com os pré-candidatos republicanos, onde Trump decidiu não participar. O conteúdo teve 250 milhões de visualizações.

Donald Trump entregou-se às autoridades do Estado da Geórgia na quinta-feira, onde é acusado de tentar falsificar os resultados eleitorais de 2020, a quarta acusação que enfrenta nos últimos meses por incidentes relacionados com a reta final do seu mandato e a derrota eleitoral para Joe Biden.

Aí foram registadas as impressões digitais do milionário e tirada a foto que a equipa de Trump rapidamente divulgou por vários sites. Trump não ficou detido. Tal como já tinha acontecido com Rudy Giuliani, seu antigo advogado, pagou uma fiança e saiu em liberdade. A fiança paga por Trump terá sido de 200 mil dólares, cerca de 185 mil euros.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.