Os censos são uma das formas mais antigas de analisar e detalhar uma população. Em vigor em Inglaterra e no País de Gales desde 1801, este modelo pode agora ser substituído por um método mais imediato e digital baseado nas informações pessoais que cada cidadão grava no seu telefone.

Censos Online podem ter recolhido informação pouco correcta
Censos Online podem ter recolhido informação pouco correcta
Ver artigo

Atualmente, os documentos físicos são entregues em casa de cada um dos habitantes, com o Office of National Statistics (ONS) a tratar a informação após um período de preenchimento. No entanto, como parte de um teste que poderá vir a servir de base de lançamento à implementação de um novo sistema, o órgão começou a recolher parte destas informações (habitação e trabalho) através da monitorização dos smartphones de alguns cidadãos.

O objetivo passa por recolher os dados dos censos através de vias alternativas já em 2021.

Este teste está a ser conduzido em parceria com a Vodafone UK e a ONS adianta que todos os dados recolhidos electronicamente estão a ser recolhidos de forma anónima, ou seja, não se sabe a identidade dos clientes envolvidos neste programa.

Apesar de ainda não serem infalíveis, os dados armazenados nos smartphones podem ser bastante fiáveis no que toca a identificar a habitação e o trabalho dos seus utilizadores. O departamento explica que, para isso, foram levados em conta factores como a localização do utilizador, e os horários em que os telemóveis ativaram os dados móveis da Vodafone.

Em 2021 os censos ainda vão ser processados em papel, como adianta a ONS, mas o objetivo é fazer com que estes deixem de ser necessários a partir da iniciativa seguinte.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.