A Intel pode ter começado mal a reconfiguração do mercado dos computadores pessoais para os dispositivos móveis. Mas a fabricante de chips parece ter aprendido com o erro e já está a mover-se estrategicamente para assegurar uma posição naquela que pode ser a próxima vaga do consumo tecnológico: os dispositivos de "vestir".

A Intel Capital, divisão de investimentos, decidiu financiar uma empresa canadiana que é especializada em dispositivos heads-up display, equipamentos que transmitem a informação ao utilizador sem grande distração do meio envolvente.

A tecnológica confirmou ao AllThingsD que está a trabalhar em múltiplas oportunidades na área de dispositivos wearable e o investimento na Recon Instruments é a prova do interesse da fabricante de chips neste segmento.

Não foram revelados os valores do investimento feito na startup, mas sabe-se que o dinheiro vai ser usado no desenvolvimento de novos dispositivos e na sua expansão a nível mundial. A Recon Instruments já tem criados dois modelos de óculos inteligentes destinados para desportistas.

Na sua conferência mundial a Intel tinha apresentado também a linha de processadores Quark, componentes de tamanho reduzido e de baixos consumos energéticos que foram criados a pensar nos relógios, óculos e braceletes inteligentes.

Outras gigantes tecnológicas já revelaram os seus planos para as tecnologias de vestir. A Google vai comercializar os Google Glass em 2014, a Samsung e a Sony já têm à venda relógios inteligentes, enquanto a LG e a Apple já mostraram publicamente o interesse que têm em explorar novas formas de dispositivos.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.