Nas últimas décadas a tecnologia tem contribuído significativamente para reduzir tarefas repetitivas e mais monótonas no trabalho e na vida pessoal, com os computadores e as máquinas a assumir grande parte daquilo que são os processos básicos, mas há ainda um salto importante a dar para a automatização de muitas rotinas que precisam de intervenção humana e de decisão.

Este ano na CES 2019 vemos já uma mudança nesse sentido. Já não são só os gadgets para tornar a casa mais inteligente e fazer o jantar de forma mais rápida, ou melhorar os ciclos de lavagem da roupa ou de limpeza e aspiração. Algumas empresas estão a usar a inteligência artificial para “prever” tendências e antecipar intenções a vários níveis: quando nos deslocamos nas cidades com os carros autónomos, sejam veículos privados ou mini-autocarros, mas também em casa com eletrodomésticos mais ligados à informação de contexto e com maior conhecimento do utilizador, e assistentes robóticos que fazem parte do trabalho, servindo também de companheiros e de “enfermeiros” em algumas situações.

Esta é uma linha onde a LG está a apostar e, no Keynote de abertura da feira, IP Park, presidente e CTO da LG Eletronics, defendeu mesmo que no futuro todos vamos ter um assistente como o Jarvis do Homem de Ferro.  Para já a LG tem o CLOi, um assistente inteligente que é mais do que um mordomo e se torna um companheiro. Mede informação dos batimentos cardíacos, adivinha o que queremos para jantar e que filme vamos ver, mas para isso tem de saber tudo sobre nós, preferências, emoções e intenções. "Isso permite que a IA pense por mim em vez de só debitar informação", defende, lembrando que em qualquer relação quanto mais e melhor se conhecem os companheiros melhor funciona.

É cada vez mais claro que esta ligação será intrínseca e sem retorno. Os robots passarão a ser os nossos melhores amigos e poderemos ter longas conversas com as assistentes digitais, o que aliás já acontece em muitos casos como mostram os relatos de que a Alexa já foi pedida em casamento mais de 250 mil vezes.

Até chegarmos ao nível de evolução que vemos no assistente pessoal do Homem de Ferro, ou à “automação” da animação de “Os Jetson” ainda há um caminho a percorrer, mas a CES 2019 está cheia de “geringonças” que vão contribuir para isso: robots que entregam bebidas e comida a pedido quando está no sofá, exoesqueletos que ajudam as pessoas com dificuldades a deslocarem-se ou que são usados para auxílio em tarefas pesadas, e outros pequenos auxiliares de tarefas de rotina estão mais automatizados e inteligentes, a conversar uns com os outros, e muitos deles já disponíveis para serem comprados.

Na maioria dos casos a evolução é gradual em termos de funcionalidades, com a ajuda na inteligência artificial, e na área da mobilidade é onde se sente mais a proximidade de uma transformação real. Basta visitar a área da CES dedicada aos carros para ter o tal “efeito UAU”.

Mesmo que ainda demore mais alguns anos a conseguir carros totalmente autónomos nas estradas, algumas tarefas mais rotineiras estão cada vez mais automatizadas e isso vai ter um impacto significativo na forma como nos deslocamos, e no tempo que ganhamos. E a próxima pergunta é o que vamos fazer com o tempo que conquistamos durante essas deslocações. É nisso que muitas empresas estão a investir neste momento e há muitas propostas diferentes para transformar o carro num escritório, num centro de entretenimento ou até de desporto (?).

Na eletrónica de consumo o principal destaque vai para o televisor OLED TV R da LG que se enrola para ser guardado dentro de uma caixa quando não está a ser utilizado, evitando o efeito "buraco negro" que se torna uma ameaça cada vez maior à medida que a dimensão dos ecrãs aumenta.

A guerra pelo domínio da sala de estar faz-se também na qualidade de imagem, com o 8K a aparecer como tendência em todas as fabricantes, mas também em integração de interfaces de voz e funcionalidades de pesquisa avançadas.

No mundo da tecnologia pessoal os sensores que medem batimentos cardíacos, temperatura e outros indicadores, como passos, são cada vez mais e com formatos originais (e estranhos) abandonando as braceletes e relógios. E a massificação pode chegar aos aparelhos de ecografia que podem ser pessoais e aso eletroencefalogramas que utilizam capacetes mais ou menos discretos. Esta obsessão com a saúde também se estende às crianças e aos animais de estimação. Desde aplicações que podem medir o "desconforto alimentar" dos cães a casas de banho inteligentes para analisar os excrementos de gatos, várias empresas têm soluções que estão entre o útil e o exagerado.

Embora a CES não seja tradicionalmente uma feira de smartphones, que estão muito bem representados no Mobile World Congress, estes equipamentos marcaram também presença em Las Vegas e tivemos oportunidade de experimentar o FlexPai da Royole, o primeiro smartphone dobrável, que apesar de ter já uma nova versão tem ainda muito que evoluir.

Talvez por herança da velhinha Comdex, Las Vegas continua a ser a cidade onde as fabricantes de computadores começam o ano a mostrar as novidades do seu portfólio, e a CES 2019 não desiludiu, como fomos dando conta com as novidades da Lenovo, Asus e Samsung, entre outras.

Durante a CES 2019 fomos mostrando os principais gadgets e anúncios e apesar da feira terminar hoje temos mais “na manga” para mostrar nos próximos dias, por isso continue a acompanhar o SAPO TEK nesta missão de mostrar os produtos mais relevantes, e os mais estranhos que foram anunciados em Las Vegas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.