Parece mais ou menos certo que o Homem chegará a Marte. Seja através da missão Mars One, seja através de um consórcio de entidades como a Agência Espacial norte-americana (NASA) e europeia (ESA). Torna-se importante começar a preparar a chegada dos humanos ao planeta vermelho para que tenham as melhores condições possíveis.



A NASA já está a trabalhar nisso e na sonda que vai enviar para o planeta em 2020 inclui um dispositivo que converte dióxido de carbono em oxigénio. Existem muitos outros aspetos básicos que serão precisos assegurar – como água -, mas a acomodação dos astronautas também poderá ser vital.



Sabendo que no caso da Mars One a viagem é só de ida, torna-se essencial ter casas onde os voluntários possam viver.



A pensar em situações semelhantes, a NASA e a empresa de impressoras 3D Makerbot uniram-se e lançaram um desafio à comunidade: criem e imprimam aquela que poderá ser a primeira casa dos humanos em Marte. O desafio foi aceite por 228 pessoas, mas o grande prémio acabou por ser atribuído ao designer Noah Hornberger.



Com o projeto Queen B, o especialista em modelação criou um conceito de casa inspirado nas colmeias de abelhas. A casa seria modular, constituída por vários favos, e cada favo corresponderia a uma divisão.



No centro ficaria a sala de estar e a partir daí “nasce” uma casa que tem dois quartos, duas casas de banho, um quarto de vestir, um jardim interior, uma sala de jantar, uma cozinha, uma lavandaria e um laboratório 3D, onde as pessoas podem imprimir os utensílios que lhe farão falta.



Na seguinte galeria os leitores podem ver com mais pormenor o que existiria em algumas das divisões:

O telhado da casa seria rugoso para defletir possíveis destroços de corpos celestes e seria construído com urânio empobrecido para diminuir a exposição a radiações cósmicas.



Uma outra preocupação da casa é ao nível da temperatura, já que em Marte há uma variação entre os 153 graus Celsius negativos e os 20 graus Celsius positivos – uma estrutura habitacional tem de ter uma grande capacidade de retenção e de geração de calor.



Desta forma a casa teria na sua base um reservatório de água que podia ser aquecida e a temperatura regulada consoante as necessidades dos humanos.



Destaque ainda para o projeto Pirâmide de Marte e para a Acrópole de Marte que ficaram, respetivamente, na segunda e na terceira posição do concurso NASA-Makerbot, escreve a Cnet.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.