Em agosto, a Microsoft apresentou ao mundo o Surface Duo, o novo conceito de smartphone da linha Surface com um ecrã duplo “dobrável”. O comunicador de bolso representa a reentrada da Microsoft no mercado dos smartphones depois da morte da plataforma do Windows Phone e do negócio falhado com a Nokia.

Mas será que o equipamento é fácil de reparar? A iFixit decidiu pô-lo à prova e revela que o Surface Duo não escapa à “maldição” dos smartphones dobráveis, como o Galaxy Fold ou o Z Flip e até a primeira versão do Motorola Razr retrofuturista. Se o equipamento estragar, tentar repará-lo é uma autêntica dor de cabeça.

O processo de abertura do painel traseiro começou por surpreender os técnicos. Porém, as facilidades terminaram por aí: além da vasta quantidade de cola, há “armadilhas” escondidas nos painéis. Ambas as baterias estão firmemente coladas e ligadas ao resto do smartphone por fios frágeis. Mesmo tendo todo o cuidado possível, os especialistas quase que destruíram um pequeno fio que ligava o altifalante interior à placa de circuitos.

Depois do removerem os dois ecrãs, os técnicos tiveram de lidar com os múltiplos obstáculos que rodeiam as baterias: desde mais cola a cabos que estão fixados à parte de baixo da motherboard, passando ainda pela presença de parafusos pouco comuns.

Apesar das dificuldades, a iFixit destaca a simplicidade do mecanismo usado nas dobradiças do Surface Duo, muito semelhante àquele que seria usado, por exemplo, num portátil com um ecrã que gira 360 graus.

Pontuação de reparabilidade do Surface Duo da Microsoft
créditos: iFixit

Ao todo, o Surface Duo alcança uma pontuação de 2 em 10 na escala de reparabilidade da iFixit, com o único aspeto positivo a ser mesmo o facto de que os ecrãs e as capas traseiras poderem ser removidos sem ter que desmontar outros componentes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.