A Chongfu Shiyong Shiyan Hangtian Qi (CSSHQ) tinha sido lançada a 4 de setembro “à boleia” de um foguetão Long March-2F, a partir do Jiuquan Satellite Launch Centre, no noroeste da China.

Sem revelar pormenores do “percurso”, a publicação estatal China Science refere, num post no seu perfil do Twitter, que a aeronave fez uma órbita de dois dias e retornou a Jiuquan este domingo, tal como havia sido planeado inicialmente.

É a mesma publicação que acrescenta que a missão é “avanço importante para o país na investigação de aeronaves reutilizáveis”, com o objetivo de vir a contribuir para a realização de futuras viagens espaciais a um menor custo.

Embora sem grande informação adicional - nomeadamente imagens -, estando confirmado o sucesso da missão, a China passa a fazer parte da ainda reduzida “elite" que está a apostar nos equipamentos espaciais reutilizáveis, como a SpaceX e a Blue Origin, nos Estados Unidos.

Na Europa também está tudo encaminhado para haver "concorrência", mas a outro nível: a ESA anunciou em janeiro estar a desenvolver o Prometheus, um "motor ultra low-cost" que será flexível o suficiente para ser compatível com vários foguetões, tendo potencial para ser reutilizável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.