A alternativa chinesa ao norte-americano GPS e ao europeu Galileo, o BeiDou, está a um passo de completar o seu plano de cobertura total do planeta. A China lançou, a 16 de dezembro, dois satélites que integram o núcleo do sistema de navegação, ampliando a sua “constelação” para 24, avança a entidade de Administração para o Sistema de Navegação por Satélite da China.

Os últimos dois satélites a serem integrados no sistema de navegação por satélite chinês serão lançados na primeira metade de 2020 indicou Ran Chengqi, porta-voz da entidade de Administração para o Sistema de Navegação por Satélite da China, citado em conferência de imprensa pela Associated Press.

China amplia cobertura do seu sinal de navegação
China amplia cobertura do seu sinal de navegação
Ver artigo

No início de 2019, o BeiDou passou a estar disponível em alguns países da Europa e África, sob o mote “Uma Faixa, uma Rota”. A China terá começado a construir o seu sistema de navegação por satélite durante os anos 1990, com o objetivo claro de depender menos do GPS. O BeiDou está agora na sua etapa final, e, quando ficar completo, o sistema que promete fornecer a localização dos utilizadores com uma margem de erro de aproximadamente 10 metros, chegará aos 35 satélites, ultrapassando o número de equipamentos presentes na constelação norte-americana.

O sistema de navegação BeiDou enquadra-se no plano de "dominação" da próxima geração de serviços de telecomunicação, estando a ser intergradas nas redes móveis de quinta geração. A combinação das duas tecnologias está a ser testada em Wuhan, onde será utilizada na criação de um circuito de testes de veículos autónomos, noticiou o Nikkei Asian Review.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.