Os prémios INOVA+ foram anunciados em março e tiveram como objetivo distinguir os projetos científicos inovadores, sobretudo focados em áreas como a inteligência artificial e a sustentabilidade. José Neves (Fundação José Neves) e Fernando Lobo Pereira (professor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto) foram distinguidos como personalidades do ano. Foram ainda premiados os investigadores Catarina Moreira, Joana Rosa e João Pereira, assim como as empresas Ethiack, Neutroplast e MyGreenApp. No total, foram distribuídos 30 mil euros em prémios (5.000 por cada projeto das três categorias).

A cerimónia de entrega de prémios decorreu ontem no Porto, um concurso organizado pela consultora, com o apoio da ANI, AIP e outras instituições de ensino superior, assim como o alto patrocínio do Presidente da República.

Prémio INOVA+ tem 30 mil euros para projetos científicos inovadores em IA e sustentabilidade
Prémio INOVA+ tem 30 mil euros para projetos científicos inovadores em IA e sustentabilidade
Ver artigo

Na categoria de inteligência artificial foram distinguidas a Ethiack, com o projeto Ethically-Driven Security For the Digital Age, que se foca numa solução de cibersegurança autónoma, numa abordagem black box, usando IA e ethical hackers. Em termos práticos, os hackers éticos testam as vulnerabilidades de soluções para ajudar a prevenir os cibercrimes. Catarina Moreira foi a segunda distinguida pela mesma categoria com o projeto XENIA – eXplainable Enhanced diagNostics Interactively through AI. O projeto investiga como a informação do registo de movimentos oculares pode ser utilizada para ensinar a uma máquina como é que os radiologistas analisam e classificam as imagens. O projeto foca-se em ajudar radiologistas menos experientes a analisar imagens de raio-x.

Eurico Neves
Eurico Neves, CEO da INOVA+

Na área da sustentabilidade, a Neutroplast foi reconhecida pelo seu projeto SeaRubbish2Cap, que tem o objetivo de identificar e recuperar o lixo do leito oceânico, sem causar danos ao ecossistema. Os resíduos são tratados para serem incorporados em produtos. Este prevê a recolha de cinco toneladas de plástico na área de Peniche, que darão origem a uma produção de mais de 2,5 toneladas de pellets para utilização em embalagens. O projeto CELLAQUA – New tools to stimulate cell-based seafood production in Portugal de Joana Rosa foi a segunda distinção da categoria. Este foca-se no desenvolvimento de linhas de peixes para a aquacultura moderna.

Por fim, na categoria de soluções digitais para cidades resilientes, Pedro Teixeira da MyGreenApp recebeu o prémio pela aplicação MyGreenApp – A holistic digital guide for your decarbonized life, criada para ajudar as pessoas e organizações a reduzir o seu impacto ecológico. A aplicação ajuda a monitorizar e a compensar a sua pegada carbónica. O segundo prémio da categoria foi entregue a João Pereira pelo projeto SmartRFID – Long-Range Smart RFID Location for Resilient Cities, um sistema de localização de longa distância para encontrar pessoas, animais ou produtos em ambientes residenciais, comerciais ou industriais.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.