Uma equipa de investigadores do Goddard Space Flight Center da Agência Espacial Norte-Americana confirmou, pela primeira vez, a deteção de vapor de água acima da superfície da Europa, uma das 79 luas de Júpiter. A equipa liderada por Lucas Paganini, investigador da NASA, observou a existência do fenómeno através do telescópio do Observatório W. M. Keck, no Hawai, entre 2016 e 2017.

Os cientistas indicam, no artigo publicado na revista científica Nature Astronomy, que a quantidade de água detetada, ao todo 2.360 quilogramas por segundo, seria suficiente para encher uma piscina olímpica em minutos. Contudo, a equipa verificou que a água surgia de forma pouco frequente, no que toca a quantidades capazes de serem detetadas da Terra.

Aliás, tal como avança a NASA, os investigadores apenas conseguiram verificar a existência do fenómeno na face frontal da Europa uma vez ao longo de 17 noites de observação. Através de um espectrógrafo, a equipa de cientistas confirmou que as moléculas observadas se tratavam mesmo de água.

NASA encontra provas de "oceano subterrâneo" em lua de Júpiter
NASA encontra provas de "oceano subterrâneo" em lua de Júpiter
Ver artigo

A confirmação da existência de vapor em Europa apoia a teoria de que existe um profundo oceano por baixo da sua crosta gelada. Os cientistas indicam que outra explicação para o fenómeno se relaciona com os reservatórios de gelo derretido sob a sua superfície.

Com uma dimensão menor do que a nossa lua, Europa é, já há algum tempo, uma das apostas da NASA no que diz respeito à procura de vida fora da Terra, pois aparenta ter os três ingredientes necessários à sua existência: água, elementos químicos e uma fonte de calor através do aquecimento de maré, um fenómeno que tem origem nas forças gravitacionais que lá atuam.

NASA confirma missão a lua de Júpiter em 2025 e "espera encontrar vida"
NASA confirma missão a lua de Júpiter em 2025 e "espera encontrar vida"
Ver artigo

A NASA anunciou, em agosto deste ano, que se encontra cada vez mais próxima de iniciar a sua exploração da lua de Júpiter. A missão Europa Clipper está na fase final do seu desenvolvimento, seguindo-se a construção do satélite que vai embarcar na viagem espacial em 2025. Até lá, a Agência Espacial Europeia tem também uma viagem marcada para Júpiter para 2022, onde a missão Juice - Jupiter Icy Moons Explorer - fará uma passagem por três dos satélites naturais deste planeta.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.