Depois de ter ganho pernas, rodas e até um braço robótico, o rover Mars 2020 da Agência Espacial Norte Americana ganhou agora um helicóptero, anunciou o Jet Propulsion Lab Laboratory em Passadena, Califórnia. Segundo a NASA, o equipamento irá testar as condições atmosféricas do planeta vermelho para averiguar se navegação de aeronaves, à semelhança de drones ou aviões, é possível.

O helicóptero autónomo, movido a energia solar, vai ser instalado na parte inferior do rover, de forma a protegê-lo de detritos espaciais aquando da sua entrada na atmosfera marciana. Depois da aterragem na cratera de Jezero, a aeronave iniciará a sua exploração aérea, tirando fotos das paisagens a que o Mars 2020 não consegue aceder.

Leve o suficiente para conseguir navegar na ténue atmosfera do planeta, o Mars Helicopter apresenta também robusteza para lidar com as fortes tempestades de vento que se fazem sentir em Marte.

Embora apresente um alto-risco, a missão do helicóptero é de alta-recompensa, indica a NASA. Por um lado, mesmo que encontre alguma dificuldade ao chegar ao planeta vermelho e não consiga cumprir a sua função, a missão não será um falhanço total. Por outro, caso se concretizem as espectativas dos investigadores da agência, tal significa que as futuras expedições marcianas poderão incluir aeronaves, incluindo o transporte de ferramentas da Terra para astronautas em Marte.

O lançamento do rover Mars 2020 da NASA está previsto para julho de próximo ano, na Estação da Força Aérea do Cabo Canaveral, na Flórida, e, se tudo correr bem, aterrará na cratera Jezero em fevereiro de 2021. Ainda hoje a NASA lançou um desafio às crianças americanas para escolher o nome do rover.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.