Qual o desempenho da União Europeia ao nível da ciência, investigação e inovação? A resposta está num relatório que a Comissão Europeia (CE) apresentou esta quarta-feira. Entre as várias questões levantadas, Bruxelas destaca a necessidade de se apostar na investigação e inovação para apoiar o crescimento sustentável e inclusivo das empresas, sobretudo nas regiões menos desenvolvidas. A edição de 2020, do documento publicado de dois em dois anos, apresenta 11 recomendações de políticas para apoiar os europeus.

O relatório enfatiza ainda a importância de garantir que os europeus tenham as competências adequadas, num mundo em que a tecnologia está sempre a evoluir. É ainda destacado no documento o "papel significativo da política de investigação e desenvolvimento no reforço da produtividade das empresas", que resulta em mais emprego e criação de valor, de forma sustentável. As 11 recomendações propostas no relatório encontram-se divididas em três grandes pilares: investigação e inovação por uma Europa segura e justa para a humanidade, para a liderança global e para um impacto económico e social.

Portugal é mencionado várias vezes no relatório. No caso da mudança estrutural, o relatório refere que é heterogénea nos vários Estados-membros. Enquanto a maioria dos países sofreram uma queda na sua quota de emprego de fabrico de alta tecnologia, alguns aumentaram a sua especialização. Portugal é uma das exceções, reforçando a especialização e revertendo a tendência negativa. O aumento de 7,1% merece um destaque e uma nota positiva no relatório.

De acordo com os dados divulgados pela CE, a União Europeia está entre os principais players de produção científica. A título exemplificativo, 25% das publicações científicas mais citadas sobre o clima e 27% na área da bioeconomia são europeias. Quando se trata de pedidos de patentes nessa área, a UE também está a liderar, com 24% no clima e 25% no setor da bioeconomia. "No entanto, são necessários mais esforços para transformar os resultados da investigação em soluções negociáveis ​​sustentáveis", alerta a Comissão.

Em comunicado, Mariya Gabriel, Comissária para Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude garante que a "investigação e a inovação estão no centro da resposta à crise sem precedentes que estamos a enfrentar", em referência à COVID-19. Quanto ao relatório, o documento "mostra como a investigação e a inovação são essenciais para promover as transições ecológicas e digitais que a Europa precisa". Neste sentido, destaca o programa Horizonte 2020 e o futuro programa Horizonte Europa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.