Fez três meses que a Microsoft comprou a Activision Blizzard, um negócio com um processo muito moroso e que obrigou a gigante de Redmond a desembolsar 69 mil milhões de dólares. Do lado dos jogadores ainda não se sentiu a diferença, uma vez que ainda nenhum título da Activision foi lançado no Game Pass, como seria o objetivo. Mas o certo é que já houve uma restruturação interna, levando ao despedimento de 1.900 funcionários em janeiro.

Os mais recentes rumores dão conta que a Microsoft poderá mudar a sua estratégia e colocar os seus exclusivos nas plataformas rivais, nomeadamente na PlayStation 5. A fabricante era obrigado a manter Call of Duty e os jogos da Activision nas consolas rivais por 10 anos, como um dos remédios propostos aos reguladores. Mas ao que parece, títulos como Halo, Indiana Jones e Starfield, jogos que não têm nada a ver com a Activision, podem estar também a caminho.

Até Hi-Fi Rush, uma das surpresas da Xbox de 2023 foi avistado em dados em direção à Nintendo Switch e PS5, assim como Sea of Thieves poderá tornar-se multiplataformas. Como avança o The Verge, há uma nova abordagem multiplataformas na estratégia da Xbox, lançando títulos exclusivos alguns meses depois em outras consolas.

Veja na galeria imagens de Indiana Jones and the Great Circle:

No caso em concreto relativo a Indiana Jones and the Great Circle, este já estaria a ser considerado multiplataformas, uma vez que era uma imposição da Disney nos seus licenciamentos. Mas a grande estranheza é mesmo Halo estar a ser considerado como jogo multiplataformas. Trata-se da joia da coroa da Microsoft, com o seu protagonista Master Chief considerado a mascote do ecossistema Xbox. Segundo o VG247, o rumor chega de uma oferta de trabalho no estúdio 343 Industries, responsável por Halo, sugerindo que o próximo jogo da série poderá ser multiplataformas.

Phil Spencer poderia simplesmente utilizar a sua conta na rede social X para esclarecer os rumores aos fãs da Xbox, que um pouco por todo lado se têm manifestado negativamente pelas notícias. A sua intervenção ainda vem colocar mais água na fervura, marcando para a próxima semana uma atualização. “Estamos atentos e estamos a ouvir-vos. Estamos a planear um evento de atualização de negócio para a próxima semana, onde iremos partilhar mais detalhes convosco sobre a nossa visão para o futuro da Xbox. Estejam atentos.”

As palavras têm feito eco na comunidade de jogadores, prevendo-se que a Microsoft possa mesmo abrir mão dos seus exclusivos para ajudar a rentabilizar o investimento na Activision Blizzard. Estúdios como a Larian Studios de Baldur’s Gate 3 ou a CD Projekt RED de Cyberpunk 2077 e The Witcher já se manifestaram a favor de acabar com os exclusivos, afirmando serem agnósticos de plataformas e que os jogos devem ser jogados onde os utilizadores desejarem. Por outro lado, os fãs prometem boicotar a Xbox, afirmando que vão comprar a PS5 e esperar por esses exclusivos chegarem à consola.

Considerando a aquisição dos estúdios como a Bethesda e a Activision para reforçar o seu catálogo de exclusivos, sobretudo a plataforma Game Pass. A abertura dos mesmos às consolas rivais não apenas diminuirá o interesse em adquirir uma Xbox, cujas vendas continuam a ser ofuscadas pelos rivais. Como poderá causar problemas à sua plataforma Game Pass.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.