A Hewlett-Packard anunciou ontem durante o Infoworld CTO Forum, em São Francisco, que pretende disponibilizar a arquitectura Utility Data Center (UDC) de forma a alargar a computação em grelha à utilização comercial, mediante a combinação com software de segurança e ferramentas de administração de sistemas.



O objectivo desta segunda fase da UDC consiste em tornar esta tecnologia mais segura e flexível. A grelha - nome que designa a rede mundial que recorre à Internet para construir infra-estruturas distribuídas de computação - tem vindo a ser utilizada principalmente para aplicações científicas e técnicas.



Ao ligar o UDC da HP à grelha, esta empresa pretende acelerar a adopção de tecnologias de grelha mediante a disponibilização de ambientes informáticos técnicos e comerciais com maior segurança e flexibilidade. O HP UDC segmenta o poder informático acessível em níveis variados de segurança e permite a alocação de recursos sem comprometer essa protecção.



Esta decisão é divulgada numa altura em que a IBM, a Compaq e a Sun desenvolvem, em separado, projectos semelhantes concebidos para tirar partido dos recursos de data centers distribuídos.



Mas enquanto a IBM está a apostar num modelo alojado de computação em grelha, a HP prepara-se para lançar uma plataforma de software concebida para oferecer às companhias a capacidade de criar um datacenter que corresponda às suas necessidades de negócio.



O programa de administração Utility Controller liga um datacenter num único sistema que pode dinamicamente realocar os recursos e contém um conjunto de APIs (Application Program Interfaces) concebido para ir de encontro às especificações de padrões de grelha de grupos industriais como o Grid Forum. O sistema da HP também suporta hardware de vários fabricantes e diversos sistemas operativos.



Alguns analistas referem que se a visão da computação em grelha se tornar realidade, as empresas poderão administrar qualquer componente de hardware, como o disco rígido e processadores, constituindo assim uma espécie de supercomputador virtual.



Por sua parte, a IBM já estabeleceu um negócio com a American Express de forma a disponibilizar acesso utilitário a recursos informáticos. Efectivo desde 1 de Março e representando um montante de quatro mil milhões de dólares (4,54 mil milhões de euros) para a IBM, prevê-se que este acordo ofereça ganhos significativos de desempenho e uma grande redução de custos para a empresa de cartões de crédito.



Também a Compaq anunciou recentemente a sua iniciativa de infra-estrutura adaptativa, concebida para disponibilizar a capacidade de realocar recursos dos sistemas.


Notícias Relacionadas:

2002-03-22 - IBM trabalha com laboratório governamental para desenvolver computação em grelha

2002-02-19 - IBM e Microsoft apostam em projecto de computação em grelha para serviços da Web

2002-01-25 - Compaq alarga estratégia Computing on Demand

2001-08-02 - IBM vai apostar em redes de computação através da Internet

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.