Vão ser retiradas do mercado mais de 200 mil baterias de lítio utilizadas nos portáteis ThinkPad da Lenovo distribuídos entre Novembro de 2005 e Fevereiro deste ano.



O anúncio foi feito pela Comissão de Segurança para Produtos de Consumo norte-americana e pela Lenovo através de um comunicado conjunto onde é possível ler que as baterias fabricadas pela Sanyo põe em risco a segurança do computador e utilizador dado o aquecimento excessivo - e consequente risco de incêndio - dos dispositivos.



Ao contrário do que acontecia em acções de recolha anteriores, estes dispositivos não possuem qualquer tipo de defeito de fabrico. O risco de incêndio baseia-se na posição da bateria, colocada numa das extremidades do portátil. A má localização do dispositivo faz com que, em caso de embate, este aqueça demais, podendo incendiar-se.



Até aqui já foram reportados quatro incidentes e, para prevenir que mais utilizadores sejam afectados enquanto não é concluída a recolha, a Lenovo aconselha os consumidores a retirarem a bateria do portátil e a utilizarem a fonte de alimentação eléctrica.



Resta salientar que, de acordo com a nota de alerta, o número das baterias a recolher é FRU P/N 92P1131 e afecta os modelos R Series (R60 e R60e), T Series (T60 e T60p) e Z Series (Z60m, Z61e, Z61m e Z61p).

Notícias Relacionadas:

2006-08-25 - Apple sucede a Dell na retirada do mercado de baterias fabricadas pela Sony

2006-08-16 - Risco de explosão leva Dell a retirar 4,1 milhões de baterias do mercado

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.