A Microsoft anunciou que vai juntar-se à Open Invention Network (OIN), uma plataforma que disponibiliza conteúdos patenteados em open source, desenhada especificamente para proteger o Linux de todos os processos legais que possam decorrer da utilização de determinadas tecnologias. Na prática, significa isto que a empresa vai abrir aos membros da OIN, um catálogo com mais de 60 mil patentes.

Nesta plataforma estão reunidos projetos pertencentes a mais de 2.400 empresas, onde se incluem gigantes como a Google e a IBM. Os membros têm acesso a todos os conteúdos disponibilizados no portal e a outras patentes disponibilizadas graças a acordos estabelecidos entre a OIN e as empresas responsáveis.

Mozilla “gravou” 20 mil pessoas e agora tem reconhecimento de voz open source para "dar”
Mozilla “gravou” 20 mil pessoas e agora tem reconhecimento de voz open source para "dar”
Ver artigo

A gigante de Redmond tem-se mostrado disposta e disponível para alavancar uma cultura de abertura e acesso livre às tecnologias que desenvolve. Em conversa com a ZDNet, Scott Guthrie, vice-presidente executivo da Microsoft, comentou que a empresa "quer proteger os projetos open source" de quaisquer processos legais que possam decorrer da sua utilização, o que justifica esta nova decisão por parte da tecnológica.

Um dos redutos que ainda se encontra protegido a sete chaves é o que diz respeito aos conteúdos do desktop do Windows, mas, de resto, a empresa promete continuar a seguir esta política, o que é uma boa notícia para a comunidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.