Um grupo de cientistas do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC-TEC) está a construir veículos autónomos de reduzidas dimensões, facilmente transportáveis e passíveis de ser controlados por apenas um operador a longas distâncias.

Em declarações ao TeK, o INESC-TEC explica que o leque de aplicações destes Veículos Autónomos de Superfície (USV) é bastante vasto. Tendo em conta as suas reduzidas dimensões, estes autómatos podem ser utilizados como dispositivos de inspeção e monitorização ambiental, como também podem ser enviados em missões de busca e salvamento ou operações de vigilância.

O tamanho e o peso reduzidos, diz o instituto, fazem destes USV equipamentos fáceis de transportar, sendo “muito interessantes em cenários que requeiram rápida colocação na água ou operações com múltiplos veículos, como é o objetivo deste projeto”.

Além disso, como estão equipados com sistemas de comunicação via rádio, podem ser controlados a uma distância de vários quilómetros.

O desenvolvimento destes veículos acontece no âmbito do projeto FLEXUS (Flexible Unmanned Surface Vehicles for the Internet of Moving Things), fruto de uma colaboração entre o Centro de Robótica e Sistemas e o Centro de Tecnologia e Multimédia, ambos parte do INESC-TEC.

Fontes oficiais contam ao TeK que os USV são construídos “de fio a pavio” no instituto, desde os subsistemas de locomoção e computação aos de comunicações e percepção.

A instituição contou com a colaboração do Arsenal do Alfeite para o desenvolvimento do “casco” dos USV aquáticos.

De acordo com as informações, a criação destes drones está em linha com aquilo que o INESC-TEC descreve como sendo a “Internet das Coisas (Móveis) ”.

O FLEXUS compreende o desenvolvimento de 10 USV. O projeto teve início em setembro de 2016 e estende-se ao longo dos próximos 30 meses, inserindo-se no âmbito do programa europeu H2020.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.